Tecnologia

Raro e belíssimo eclipse “Super Lua de Sangue” aparece neste domingo

Eclipse Super Lua de Sangue vista na Alemanha em 21/01/2019 | Foto: Reprodução/Kai Pfaffenbach

Não haverá outro fenômeno como este até 2021. Foi também a primeira Superlua” de 2019, com o bônus de Super Lua de Sangue.

O primeiro e único eclipse lunar total deste ano veio acompanhado de uma “Super Lua de Sangue” como ‘bônus’. Isto acontece quando o satélite natural da Terra está mais próximo do planeta, o que faz com que ela fique maior e mais brilhante, além de banhada por uma luz avermelhada durante o fenômeno, daí o nome “Super Lua de Sangue”.

Na noite de domingo (20), a Lua, a Terra e o Sol se alinharam e criaram o belíssimo eclipse, que foi visível nas Américas do Norte e do Sul, em locais em que o céu estava limpo, principalmente em vastas áreas do Brasil, onde os céus nas noites de verão estão quase sempre sem nuvens.

Não haverá outro evento como este até 2021. Foi também a primeira “Superlua” de 2019.

Veja também
» Veja fotos do primeiro eclipse solar no Japão em 2019
» Misteriosa ‘bola de fogo’ é vista cruzando céu no oeste do Japão

O eclipse durou, ao todo, mais de três horas. O eclipse total, quando a Lua está completamente coberta pela sombra da Terra, durou uma hora.

Durante o eclipse total, a Lua se tornou vermelha por conta dos raios solares que se espalharam da atmosfera terrestre. Além das Américas, o fenômeno também pôde ser observado por todo o Atlântico e em algumas partes da Europa.

Nos Estados Unidos, a Lua não desapareceu completamente durante o eclipse, mas em seu ápice, toda a superfície lunar foi banhada por uma luz avermelhada que dá nome ao termo “Lua de Sangue”.

A cor avermelhada se deve a raios de luz solar que passam pela poluída atmosfera da Terra à medida que a Lua se posiciona à sombra do nosso planeta. As ondas de luz azul, mais curtas e maleáveis, são dispersadas para fora da sombra terrestre enquanto as ondas vermelhas, mais longas e menos flexíveis, são refletidas em direção à Lua.

Somado ao efeito visual, está o fato de que o eclipse ocorreu no momento em que a Lua atingiu o ponto de sua órbita mais próximo da Terra, formando o alinhamento conhecido como “Super Lua”.

Nos Estados Unidos, o fenômeno também ganhou o nome de “Lua de Lobo” porque acontece em janeiro, quando lobos uivavam de fome do lado de fora de vilarejos no início da história dos Estados Unidos, de acordo com a agência Reuters, citando uma publicação do The Farmers Almanac.

Do Mundo-Nipo
Fontes: Agência Reuters | Estadão Conteúdo.