Tecnologia

Japão quer melhorias na segurança de dados de usuários do Facebook

©Shutterstock Free Images

Vazamento de informações de contas no Facebook afetou potencialmente pelo menos 100 mil usuários no Japão.

Atualizado em 23/10/2018


O Governo do Japão pediu ao Facebook para melhorar a proteção dos dados pessoais de seus usuários, uma solicitação que ocorre após uma série de falhas na rede social afetar dezenas de milhões de usuários em todo o Mundo, incluindo milhares no Japão.

Tóquio pediu que a maior empresa de mídia social do planeta comunique todos os problemas de segurança aos usuários, aumente a vigilância sobre provedores de aplicativos em sua plataforma e informe os reguladores de qualquer mudança nas medidas de segurança.

O pedido do governo japonês vem depois que o Facebook disse neste mês que hackers roubaram dados de 29 milhões de contas de usuários.

A falha ocorre poucos meses depois que a companhia de Mark Zuckerberg revelou que informações pessoais de quase 87 milhões de usuários foram acessadas indevidamente pela empresa britânica Cambridge Analytica.

A Comissão de Proteção de Informações Pessoais do Japão, que investigou o caso da Cambridge Analytica com autoridades do Reino Unido e de outros lugares, emitiu uma declaração nesta segunda-feira detalhando seu pedido ao Facebook. A solicitação não contém ordens administrativas ou penalidades e não é juridicamente vinculativa.

A rede social prometeu detalhar em seu site em japonês como atenderá ao pedido de Tóquio, disse a Comissão.

O órgão japonês também disse que o caso da Cambridge Analytica afetou potencialmente 100 mil usuários no Japão, e que o ataque cibernético deste mês também pode ter impacto sobre os usuários japoneses.

Vazamento de dados de usuários em setembro
No fim de setembro, mais precisamente entre os dias 14 e 27, um vazamento de informações pessoais no Facebook deixou as empresas de segurança da área em alerta

O vazamento permitiu a captura de dados completos do usuário, inclusive números de documento, localização, histórico de deslocamento, preferências e listas de seguidores. Inicialmente, a estimativa era de que 50 a 90 milhões de contas haviam sido comprometidas, porém, após nova checagem, o número reduziu para 30 milhões. No Brasil, segundo o próprio Facebook, cerca de 400 mil internautas já foram notificados.

Entre os fatores de risco apontados pela Bitdefender está a possibilidade de botnets terem sido inoculados em dispositivos e estarem usando os dados roubados na rede para realizar engenharia social e arquitetar ações de ransomware, fraude bancária e clonagem de perfil para operações fraudulentas.

Mundo-Nipo
Fontes: Agência Reuters | Digital.