Variedades

Par de melões é vendido por R$ 133 mil em leilão no Japão

©Jiji Press

Melão Yubari é a fruta mais cara do mundo. Mas o valor pago este ano está longe do recorde de R$ 246 mil no leilão de 2019.

Um caixa com dois melões da marca Yubari foi vendida por por 2,7 milhões de ienes, cerca de US$ 24.800 ou R$ 133 mil no câmbio atual, em um leilão realizado no mercado central da cidade de Sapporo, na ilha de Hokkaido, extremo norte do Japão, onde se encontra a cidade de Yubari e que deu seu nome a esta marca de melão, a mais prestigiada do país e também a mais cara do mundo.

O valor pago pelas duas frutas é 22 vezes mais que o preço do ano passado, que foi marcado pela pandemia de covid-19 – mas ainda muito menos do que se costumava praticar antes de 2020.

Melões foram arrematados por um fabricante de alimentos para bebês | ©Jiji Press

Apesar do valor exorbitante para apenas duas frutas, o preço pago no leilão deste ano, que é o primeiro da temporada, é irrisório em comparação com outros recordes registrados para esta fruta tão apreciada pelos japoneses.

“A recuperação dos preços este ano pode ser vista como a vontade dos compradores de estimular as pessoas a apresentar lances maiores”, disse à agência AFP um funcionário do mercado de atacado.

O comprador é um produtor local de alimentos para bebês, cujo presidente disse esperar que o resultado espalhe um pouco de alegria.

As ofertas de frutas de temporada no Japão atraem com frequência compradores que buscam prestígio e publicidade gratuita.

Em 2019, dois melões Yubari alcançaram o preço recorde de cinco milhões de ienes (R$ 246 mil), mas o valor caiu a apenas 120.000 ienes no ano passado. Os produtores acusaram o vírus de afastar os compradores ricos dispostos a aumentar os lances.

Adoração dos japoneses por frutas

Os japoneses adoram frutas e têm por costume presentear as pessoas com elas, principalmente se for frutas raras e sazonais, que geralmente são arrematadas em leilões por pequenas fortunas.

Nos grandes mercados e nas lojas especializadas, estas obras de arte da natureza são expostas como se fossem joias, protegidas por vidros ou uma rede de musseline branca.

Mediante isso, é possível mensurar o apreço não só em leilões de frutas como também em lojas especializadas, onde um cacho de uva, por exemplo, pode superar a “bagatela” de US$ 10 mil.

Os altos preços têm explicações que vão além da apreciação dos japoneses por fruta ou a perfeição e do cultivo diferenciado. Um dos principais motivos é a tradição de presentear os mais íntimos com elas, sendo que quantidade e preço são demonstrativos de afeto – quanto mais caro, maior o carinho.

== Mundo-Nipo (MN)
Fontes: AFP | Kyodo.