Variedades

Xilogravuras de Hokusai são vendidas em Nova York por quase US$ 1 milhão

Xilogravura "A Grande Onda de Kanagawa", obra de Hokusai | Domínio Público

Foram vendidas “A Grande Onda” e “Fuji Vermelho”. As duas obras são as mais famosas do artista japonês Hokusai, que viveu no período Edo.

Duas famosas xilogravuras do artista japonês de ukiyo-e Katsushika Hokusai, um dos maiores nomes da arte japonesa, foram arrematadas por quase US$ 1 milhão em um leilão realizado na última terça-feira em Nova York.

As obras fazem parte da icônica série de xilogravuras “Trinta e Seis Vistas do Monte Fuji”. Apesar do nome, a série é composta por quarenta e seis gravuras do gênero de arte ukiyo-e (datadas entre os anos de 1820 e 1832) criadas por Hokusai (1760-1849), nas quais o gênio retrata o Monte Fuji em diferentes estações do ano, diferentes locais e condições do tempo.

De acordo com a emissora púbica ‘NHK’, a obra “Gaifu Kaisei”, também conhecida como “Fuji Vermelho”, foi arrematada por US$ 507 mil. Já a peça mais famosa, a “Kanagawa Oki Nami Ura”, conhecida mundialmente como “A Grande Onda de Kanagawa”, foi arrematada por US$ 471 mil, sublinhou a ‘NHK’.

Xilogravura “Fuji Vermelho”, obra de Hokusai | Domínio Público

As duas famosíssimas xilogravuras estão em boas condições, apesar de serem impressões com quase 200 anos, destacou a emissora japonesa.

A Grande Onda de Kanagawa simboliza a arte japonesa em toda a sua plenitude. Quando a vemos, logo lembramos do Japão (…) ela é magnífica”, disse o famoso colecionador de arte Richard Douglas Lane (1936–2002), segundo a “Kyodo News”.

Xilogravura “A Grande Onda de Kanagawa”, obra de Hokusai | Domínio Público

Ambas xilogravuras receberam ofertas do mundo inteiro, adiantou a ‘NHK’, sem precisar se foram arrematas por um ou mais compradores.

Sobre Hokusai
Katsushika Hokusai (1760-1849) foi um artista japonês, pintor de estilo ukiyo-e e gravurista do Período Edo. Em sua época, era um dos principais especialistas nesse gênero de pintura do Japão, embora tivesse tendências para a arte chinesa.

Nascido em Edo (atual Tóquio), Hokusai é melhor conhecido como autor da série de xilogravuras “Trinta e Seis Vistas do Monte Fuji”, que inclui sua pintura icônica e internacionalmente conhecida “A Grande Onda de Kanagawa”, criada durante a década de 1820.

Historiadores contam que Hokusai criou essa magnífica série por conta de sua obsessão pessoal pelo Monte Fuji. Foi desta série especificamente que vieram as obras “A Grande Onda” e “Fuji Vermelho” (também conhecido por “Fuji em Tempo Claro”), que garantiram uma considerável fama à Hokusai dentro e fora do território japonês.

Gênio indomável
Hokusai viveu durante o período Tokugawa (1600 a 1867), época em que o Japão tinha valores confucionistas tradicionais e regimento feudal. Hokusai era um artista completamente boêmio, apontado como arrogante, briguento, inquieto, agressivo e, ao mesmo tempo, sensacional, descreveu o escritor Andreas Ramos.

Ele discutiu com seus professores e foi muitas vezes expulso das escolas de arte. Como um teimoso gênio artístico, ele era obcecado pela arte. Hokusai deixou mais de 30.000 obras, incluindo pinturas de seda, xilogravuras, livros ilustrados, mangás, ilustrações de viagens, ilustrações eróticas, pinturas e esboços.

Algumas de suas pinturas eram espetáculos públicos que mediam mais de 200 metros quadrados. Ele não se importava muito em ser sensato ou respeitar a sociedade.

Um de seus últimos trabalhos foi a obra “The Old Man-Old Man” (O Velho Homem Velho, em tradução literal).

Durante seus os 89 anos de vida, Hokusai mudou seu nome cerca de trinta vezes (Hokusai não era seu nome verdadeiro) e viveu em pelo menos noventa diferentes residências.

MN – Mundo-Nipo.com
Fontes: NHK News | Kyodo News | Andreas.com.