Yamanashi limitará escaladores no Monte Fuji a 4 mil por dia

Autoridades esperam que a medida alivie a aglomeração perto do cume do Fuji, que é causada pela recente tendência de “escalada bala”.
Monte Fuji visto a partir de Yamanashi | ©Depositphotos
Monte Fuji visto a partir de Yamanashi | ©Depositphotos

 O governo da província de Yamanashi, no leste do Japão, anunciou um plano para limitar o número de escaladores do Monte Fuji em 4.000 por dia e instalar um portão na quinta estação da trilha Yoshida, de acordo com o The Asahi Shimbun.

As autoridades esperam que a medida alivie a aglomeração perto do cume causada pela recente tendência de “escalada bala”, onde os trekkers iniciam a subida à noite para chegar ao cume antes do nascer do sol e depois descem sem ficar em cabanas, o que é considerado perigoso.

O plano é restringir a entrada na montanha das 16h às 2h e cobrar pedágio.

As autoridades esperam implementar a medida a partir do próximo verão, após coordenação com os moradores locais.

À medida que as restrições à pandemia da Covid-19 foram suspensas, os alpinistas correram para a montanha mais alta do Japão,  com 3.776 metros de altitude,  durante a temporada de escalada deste ano.

Segundo o Asahi, tem havido pedidos crescentes de autoridades locais alarmadas e de funcionários de alojamentos de montanha para que o governo da província divulgue os detalhes dos regulamentos o mais rápido possível para a próxima temporada de escalada, que começará em 1º de julho de 2024.

O governador de Yamanashi, Kotaro Nagasaki, disse que apresentará um projeto de decreto à assembleia municipal em fevereiro próximo, que servirá de base para os novos regulamentos de montanhismo.

“Esta é uma medida [limite diário de 4.000 escaladores] para aliviar o congestionamento na trilha e pesquisas anteriores mostraram que ocorre aglomeração excessiva perto do cume quando o número de escaladores ultrapassa 4.000”, disse ele, segundo o Asahi.

De acordo com a regulamentação proposta, um portão será instalado próximo à quinta estação, que é o ponto final da rodovia, com pedágio da Linha Fuji Subaru no lado da província.

Para evitar “escaladores bala”, o portão estará fechado das 16h às 2h, todos os dias durante a temporada de escalada.

O número máximo de escaladores será restrito a 4.000 por dia e, uma vez atingido esse limite, o portão será fechado, ainda antes das 16h.

No entanto, os hóspedes do alojamento estarão isentos dos regulamentos em ambos os casos.

Atualmente, os escaladores que caminham a partir da quinta estação da montanha devem doar 1.000 ienes (aproximadamente 7 dólares) para manutenção e conservação do Monte Fuji. No entanto, alguns escaladores não pagam, pois isso é apenas voluntário.

De acordo com os regulamentos propostos, uma taxa de pedágio seria cobrada dos transeuntes.

Os regulamentos propostos também exigem que os guias de segurança em trilhas e os guias turísticos tenham autoridade para instruir os escaladores que causarem problemas, e que os montanhistas em grupo devem ser acompanhados por um guia com tal autoridade.

Além disso, serão instalados abrigos para proteger os escaladores das cinzas vulcânicas e da queda de rochas na descida, onde atualmente não existem abrigos de emergência, como alojamentos de montanha.

Serão calculadas as despesas necessárias para essas atualizações, incluindo manutenção da trilha, e o preço do pedágio de entrada será definido com base nas despesas.

De acordo com autoridades da província, o número de alpinistas ultrapassou 4.000 em cinco ocasiões neste verão (medido na sexta estação).

A trilha é uma estrada administrada pela província. Até agora, o governador Nagasaki tinha indicado que a regulamentação seria difícil devido às restrições da Lei Rodoviária.

Por este motivo, o governo da província irá isentar uma área de aproximadamente 600 metros do portão da aplicação da Lei Rodoviária, para que a área possa ser gerida como uma “instalação” e não como uma estrada.

Excesso de turistas no Monte Fuji

O excesso de turismo foi reconhecido como um problema no Monte Fuji, fazendo com que as prefeituras de Yamanashi e de Shizuoka, o ministério do ambiente e outros formassem um conselho para discutir contramedidas.

O número de alpinistas neste verão foi de 221.322, retornando aos níveis pré-pandêmicos. Destes, 137.236 escaladores estiveram na trilha Yoshida, um número recorde, incluindo trilhas no lado de Shizuoka.

Havia cerca de 3.800 alpinistas no Monte Fuji neste verão, e alguns foram vistos dormindo na encosta aberta da montanha e fazendo fogueiras, o que não é recomendado.

Nagasaki indicou que planeja melhorar a trilha de Yoshida até a quinta estação para dispersar os escaladores.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Kyodo News Japan

Total
0
Shares
Previous Article
Bandeiras japonesas nas ruas de Tóquio | ©Stockvault

Japão: Economia pulsante e a ascensão de novas fronteiras no entretenimento

Next Article
Preços em mercado no Japão | ©iStock

Preços de mais de 30 mil alimentos no Japão aumentaram em 2023

Related Posts