Tecnologia

Japão desenvolve drone mais eficaz no combate a pragas em plantações

O AgriDrone possui vários sensores e câmeras infravermelhas que dão visualização total das plantações e colônias de insetos.

Um grupo de pesquisadores no Japão desenvolveu os primeiros drones para a agricultura que trabalham “totalmente automatizados”. Segundo seus criadores, esses novos quadricópteros são capazes de espalhar defensivos em plantações com mais eficácia que os aviões convencionais e com muito mais segurança do que se fosse feito por mãos humanas.

O projeto é da Universidade Saga em parceria com a empresa de TI local OPTiM. O AgriDrone, como é chamado, trouxe vários benefícios nesse novo trabalho no campo. Entre eles está o uso reduzido de pesticida, o que economiza gastos aos agricultores e ajuda o meio ambiente.

Essa redução de pesticida ocorre porque o aparelho trabalha preferencialmente de noite, aproveitando o momento de menor atividade das plantas e também de melhor eficiência das substâncias de combate às pragas.

Para isso, ele utiliza uma série de sensores e câmeras infravermelhas que dão visualização total das plantações e colônias de insetos. Praticamente, ele é um mata-mosquito planando pela fazenda e procurando o alvo apropriado para seu tiro certeiro.

Drones na agricultura não são novidades. Aparelhos são usados em várias partes do mundo com esse fim e contribuíram para um novo ramo na agricultura automatizada. Mas o AgriDrone japonês tem melhor eficiência na operação do que qualquer outro. A maior novidade, entretanto, é que o dispositivo em trabalhos no Japão é completamente automatizado.

Melhor resultado
Em geral, os drones na agricultura requerem algum nível de controle manual para voarem pelas plantações sem serem danificados e para chegarem até onde as pragas estão atacando. O AgriDrone consegue fazer isso sozinho.

A novidade chega em um momento importante no Japão, que discute a diminuição do uso de pesticidas com vistas a manter melhor equilíbrio no ecossistema. Agricultores, de uma forma geral, diziam que não seria possível eliminar o uso de substâncias de uma só vez e o caminho mais prático seria melhorar a forma como era usada para ampliar o resultado com menos veneno.

Fonte: Portal R7.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*