Ciência e Saúde

Pessoas otimistas têm menos risco de morrer de câncer, diz estudo japonês

Foto: Stockvault Free

Estudo revela que o risco de morrer por doenças graves como câncer, AVC e por problemas relacionados ao coração é menor em pessoas otimistas.

Um estudo realizado pelo Instituto Nacional do Câncer no Japão revelou que o risco de morrer por doenças graves como câncer, bem como aquelas que afetam o sistema circulatório, como AVC (Acidente Vascular Cerebral), e as relacionadas ao coração, é menor em pessoas positivas, o que mostra o quanto o fator psicológico pode influenciar na saúde das pessoas, indicando ainda que uma mente positiva pode beneficiar a saúde.

Publicada pela primeira vez em 2016 e recentemente divulgada na revista britânica Nature, a pesquisa do Instituto decorreu por longos 11 anos, nos quais 57 mil pessoas entre 50 e 79 anos foram monitoradas no decorrer desse período.

A equipe que realizou o estudo explicou que essas pessoas foram divididas de acordo com a resposta de cada uma delas em uma pesquisa sobre métodos e soluções para os problemas comuns que ocorrem no cotidiano.

Com base no resultado dessa enquete, os pesquisadores puderam identificar e separar os otimistas dos pessimistas, criando assim dois grupos de pessoas que tiveram suas vidas acompanhadas por mais de uma década.

O estudo concluiu que os dois grupos apresentaram riscos semelhantes no desenvolvimento de câncer e de outros tipos de doenças graves. Contudo, os pesquisadores constataram que o número de pessoas que morreram vítimas de câncer ou que sofreram AVC foi 15% menor entre aquelas consideradas otimistas.

Além disso, a porcentagem entre as pessoas com atitude positiva foi ainda menor nos casos de morte por doenças que afetam o sistema circulatório, principalmente as relacionadas ao coração. Nesses casos, o risco de morte no grupo dos otimistas foi 26% menor do que no grupo de pessoas que agem com pessimismo diante das adversidades da vida.

Um estudo semelhante foi divulgado em 2012 pela Universidade de Harvard, no qual constatou que o risco de ter problemas de coração, pressão arterial e colesterol alto entre as pessoas mais otimistas é 50% menor do que em pessoas pessimistas e tristes.

O estudo destacou ainda que o estresse e a depressão também provocam doenças do coração.

Segundo os pesquisadores, ainda não é possível provar cientificamente que o otimismo e a felicidade de fato interferem na saúde, porém, os resultados de estudos elaborados por várias entidades renomadas no planeta caminham para essa conclusão.

MN – Mundo-Nipo.com
Fonte: Revista Nature.

Deixe uma resposta