Ciência e Saúde

Entenda como estilos de apego podem afetar seus relacionamentos

©Dreamstime

Todos nós temos algum estilo de apego que, dependendo de qual, podemos afastar as pessoas ou nos apegarmos demais a elas.

Se você já se perguntou por que age de certa maneira, positiva ou não, em seus relacionamentos, a resposta pode ser mais simples do que você imagina e pode ser encontrada nos estilos de apego. Dependendo de cada estilo, você pode ser uma pessoa evasiva, uma pessoa ambígua ou uma pessoa que confia cedo demais na pessoa com quem está se relacionando.

Os estilos de apego determinam como interagimos com outras pessoas, eles são formados muito cedo na vida, principalmente na infância. Na verdade, os estilos de apego iniciam sua construção no momento em que nascemos e nos são passados por nossos genitores e/ou aqueles que nos educam. Se crescemos em um lar caótico ou nos sentimos traídos, nosso estilo de apego provavelmente será muito diferente de alguém que cresceu em um ambiente seguro e calmo. Conhecer o estilo de apego pode ajudar a entender nosso modo de agir, bem como fornecer informações úteis sobre os relacionamentos e torná-los melhores.

Os quatro estilos de apego

Existem quatro tipos diferentes de estilos de apego. Três deles são considerados formas inseguras de apego. Cada estilo tem características específicas e sinais indicadores que você pode usar para descobrir o seu estilo.

Evasivo

Pessoas que têm um estilo de apego evasivo não gostam da sensação de ficar muito perto de outra pessoa. Se abrir e compartilhar vivências e sentimentos mais profundos parece estranho e desconfortável, e pessoas evasivas tendem a afastar os outros ou se retrair sempre que se sentem muito vulneráveis. O apego evasivo se desenvolve quando as crianças não têm suas necessidades atendidas adequadamente e precisam confiar em si mesmas. Eles se tornam indivíduos muito independentes.

Ansioso

Aqueles com um estilo de apego ansioso geralmente sentem que são os que mais se importam em um relacionamento. Pessoas com esse estilo muitas vezes podem se tornar co-dependentes e atrair personalidades negativas como, por exemplo, narcisismos em casos extremos. As pessoas que estão ansiosamente apegadas temem que outras pessoas não sejam capazes de mostrar a elas a mesma quantidade ou tipo de amor que elas demonstram. Elas podem ficar facilmente com ciúmes e muitas vezes podem ser inseguras sobre si mesmas.

Ansioso-evasivo

Esse estilo de apego combina os tipos evitativo e ansioso, o que pode torná-los muito confusos. Na verdade, é muito raro esse estilo de apego que, em muitos casos, a pessoa pode afastar os outros ou,  em outra instância, ficar muito preocupada em deixá-los. Frequentemente, um indivíduo com apego ansioso-evasivo tem muito medo de ser vulnerável, mas, ao mesmo tempo, anseia por intimidade. Uma infância desorganizada e imprevisível pode levar alguém a se tornar ansioso e evasivo.

Descobrindo seu estilo

Existem várias maneiras de descobrir que estilo de apego você pode ter. Uma grande parte do processo é olhar para o seu passado e se fazer muitas perguntas (e respondê-las honestamente). Por exemplo, pense em seus relacionamentos anteriores e como você agiu quando se sentiu vulnerável. Agora pense em como você agiu quando se sentiu abandonado. Alguém que está apegado com segurança estaria bem com a vulnerabilidade e veria o abandono como um sinal de que essa pessoa não era certa para ela, sabendo que merece algo melhor.

Um evitador ficaria desconfortável com a vulnerabilidade, enquanto uma pessoa ansiosamente apegada poderia compartilhar demais na esperança de que isso faria com que a outra pessoa ficasse. Se você reagiu de maneira diferente em situações semelhantes, ou pode se relacionar com vários estilos de apego, você pode ter o apego ansioso-evitativo.

Outra dica de auto-analisar é mensurar, por exemplo, o quanto você é independente ou co-dependente, se você consegue estabelecer limites, se é mais inseguro ou tem autoestima elevada. Seu passado fornece todas as pistas de que precisa para se descobrir. Você pode até descobrir um parceiro ou amigo se os conhecer bem o suficiente. Se você está tendo problemas para descobrir qual é seu estilo de apego, tente perguntar a um amigo que seja sincero ou fale com um terapeuta. Depois de conhecer seu anexo, você poderá usá-lo a seu favor.

Estilos de apego em relacionamentos

Se você está atualmente em um relacionamento ou procurando um namoro, os estilos de apego podem desempenhar um grande papel na compatibilidade de duas pessoas. Não é má ideia descobrir o estilo de apego de um parceiro, o que permitirá conhecer essa pessoa e, portanto, ter um relacionamento melhor. Como regra geral, é muito difícil para dois tipos ansiosamente apegados estarem em um relacionamento. O mesmo é verdadeiro para dois “evitadores”, ou mesmo um ansioso e um evitativo.

Quando uma pessoa ansiosa e uma pessoa evasiva estão em um relacionamento, uma delas passa o tempo todo perseguindo a intimidade, enquanto a outra foge dela. É como um jogo de gato e rato que nunca tem um vencedor.

Os relacionamentos mais bem-sucedidos terão pelo menos um parceiro seguro, se não ambas as pessoas. Claro, com bastante amor e trabalho, qualquer relacionamento pode ser saudável e gratificante.

Considerações

Não importa o estilo de apego que alguém tenha, uma vez que, na verdade, todos desejam ser amados. Para muitas pessoas, é difícil expressar essa necessidade e confiar nos outros para fornecer o apoio e o amor que desejam. É por isso que é tão importante descobrir qual é o seu estilo de apego. Isso permite que você ame a si mesmo e aos outros  de uma forma bem melhor.

Compreender que os estilos de apego são resultados da infância lhe dará empatia por você mesmo e pelos outros. Você também deve observar que os estilos de apego podem mudar e, na verdade, mudam com o tempo.

Os eventos traumáticos podem levar as pessoas seguras a ficarem mais ansiosas ou evasivas. Por outro lado, se alguém quiser mudar para um apego mais seguro, isso sempre é possível, basta dedicar um pouco de tempo e trabalho. O que mais importa é ser a versão mais saudável de si mesmo – alguém de quem você se orgulha e te faz feliz.

Sobre a autora

Marie Miguel é redatora especialista em pesquisas há quase uma década, cobrindo uma variedade de tópicos relacionados à saúde. Atualmente, ela está contribuindo para a expansão e o crescimento de um recurso online gratuito de saúde mental com a BetterHelp.com.

Com interesse e dedicação em lidar com os estigmas associados à saúde mental, Marie Miguel continua a focar especificamente em assuntos relacionados à ansiedade e à depressão.