Ciência e Saúde

Japoneses anunciam ter conseguido regenerar articulações a partir de células iPS

O método permitirá a reparação de uma ampla área da cartilagem articular e poderá levar a novos tratamentos para a artrite degenerativa.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

Uma equipe de cientistas japoneses anunciou ter conseguido regenerar, pela primeira vez, articulações de joelho com o uso de células-tronco pluripotentes (iPS), o que gera novas expectativas para o tratamento de pacientes com artrite degenerativa, informou neste sábado a emissora NHK.

 

Kazuto Hoshi (Imagem: NHK / Reprodução)

O professor Hoshi disse que o método permitirá a reparação de uma ampla área da cartilagem articular, também conhecida como cartilagem hialina (CH) (Imagem: NHK / Reprodução)

 

A equipe de cientistas, liderada pelo cientista Kazuto Hoshi, professor associado da Universidade de Tóquio, disse que cultivou células iPS a partir de pele e de outras partes do organismo humano. Os cientistas implantaram então as células em articulações de joelhos de porcos e adicionaram uma substância com componentes semelhantes a ossos.

Um mês depois, os pesquisadores confirmaram a regeneração da cartilagem e dos ossos desgastados. Segundo eles, os porcos passaram a se deslocar normalmente, em vez de se arrastar ao andar.

O professor Hoshi afirma que a experiência é pioneira na regeneração de articulações de joelho por meio do uso de células iPS em animais de grande porte, como os porcos.

A novidade aumenta a esperança de desenvolvimento de novos tratamentos para artrite degenerativa não só em joelhos como também em outras áreas do corpo que possui articulação e que envolve desgaste da cartilagem.

 

Para saber mais sobre Ciência e Bem-Estar, clique em mundo-nipo.com/ciencia-e-bem-estar. Siga também o Mundo-Nipo no Twitter e Facebook.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta