Ciência e Saúde

Japão tem novo recorde diário de mortes por Covid-19

Paciente com Covid 19 sendo transportado para o hospital em Toquio em fevereiro de 2022 Foto Reproducao Kyodo 900x600 1
©Kyodo

Na tentativa de conter a Ômicron, 31 das 47 prefeituras japonesas permanecem em estado de emergência parcial até 6 de março.

O Japão registrou um recorde de 319 mortes diárias por coronavírus na última terça-feira, superando a marca de 300 pela primeira vez, enquanto o número de novos casos caiu em relação à semana anterior, informou a Kyodo News.

A província de Osaka registrou um recorde de 63 mortes, enquanto Tóquio somou 25. O número diário de mortes de ambas prefeituras quebrou o recorde anterior de 270 marcado na quinta-feira passada. 

O número de pacientes com sintomas graves totalizou 1.504 em todo o país na terça-feira, nove a mais em relação à segunda-feira, disse o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, acrescentando que muitos casos foram relatados em instalações de assistência social para idosos.

Os idosos e aqueles com condições de saúde precárias, os quais integram os grupos prioritários na campanha de vacinação contra a Covid-19, são mais propensos a desenvolver sintomas graves que requerem tratamento médico, disse o ministério.

Os casos diários de coronavírus ficaram em 69.525, o que representa queda de aproximadamente 15.000 em relação à semana anterior. A tendência de baixa continuou desde que a contagem nacional ultrapassou 100.000 pela primeira vez no início deste mês.

Tóquio registrou 11.443 novas infecções na terça-feira, enquanto Osaka confirmou 10.939 novos casos.

No Japão, 31 das 47 prefeituras, incluindo Tóquio, permanecem em  estado de emergência “parcial” até 6 de março, em uma tentativa de conter a propagação da variante Ômicron”, apontada por especialistas como a mais transmissível do vírus da Covid. 

Mesmo estando sob o estado parcial de vigilância, os governadores das províncias podem pedir que restaurantes e bares fechem mais cedo, proibindo ainda a venda de bebidas alcoólicas.

O secretário-chefe do gabinete japonês, Hirokazu Matsuno, disse em coletiva de imprensa na terça-feira que pode suspender a medida antes do prazo previsto, uma vez que os casos diários têm reduzido mesmo com o aumento do número de mortes.

Em meados de fevereiro, o primeiro-ministro Fumio Kishida expressou a intenção de flexibilizar as restrições. A ideia inicial é reabrir as fronteiras parcialmente já em 1º de março, relaxando assim as duras restrições contra o Ômicron.

== Mundo-Nipo (MN)
Foto: Kyodo Images.