Salários no Japão têm maior aumento em três décadas

Em uma ação sem precedentes, sindicatos, gestores e o governo japonês se uniram para reivindicar aumentos salariais este ano.
Trabalhadores japoneses | ©Akio Kon
©Akio Kon

Pela primeira vez em mais de três décadas, os trabalhadores regulares do Japão verão um aumento significativo em seus salários, que superará 5%, conforme revelado pelas negociações salariais de primavera (shunto) deste ano.

Os sindicatos divulgaram o resultado final das negociações que tiveram início em março, indicando um aumento salarial médio de 5,1% para os funcionários regulares.

Este é o primeiro aumento na faixa de 5% em 33 anos, um acontecimento que foi amplamente impulsionado por uma combinação de inflação crescente e escassez de trabalhadores.

Em uma ação sem precedentes, sindicatos, gestores e o governo se uniram para reivindicar aumentos salariais este ano. Agora, a atenção se volta para os salários reais, após ajuste pela inflação.

O resultado final foi divulgado nesta quarta-feira (3) pela Rengo (Confederação Japonesa de Sindicatos), a maior organização sindical do país, com base nas respostas de 5.284 sindicatos, cujo prazo para responder à Rengo encerrou na última segunda-feira (1).

A taxa de aumento salarial para 3.816 sindicatos com menos de 300 membros foi de 4,45%, enquanto para 1.468 sindicatos com pelo menos 300 membros foi de 5,19%.

Para os trabalhadores não regulares, como os trabalhadores em tempo parcial e contratados, o aumento foi de 5,74% em uma base horária.

Segundo o Asahi Shimbun, para lidar com a crescente inflação no país, é crucial aumentar uniformemente o salário base em geral, em vez de depender apenas dos aumentos regulares baseados na idade e tempo de serviço.

Entre os 3.639 sindicatos que relataram aumentos específicos no salário base, o aumento médio foi de 3,56%, quase o mesmo que o aumento de 3,5% no Índice de Preços ao Consumidor para o ano fiscal de 2023.

No entanto, o levantamento da Rengo cobre apenas empresas com sindicatos trabalhistas, excluindo muitas pequenas e médias empresas que representam 99% dos negócios domésticos e onde cerca de 70% da força de trabalho do país está empregada.

Os salários reais por trabalhador continuaram a cair por 25 meses consecutivos até abril, a maior sequência registrada, segundo uma pesquisa do ministério do trabalho que abrangeu todos os estabelecimentos com pelo menos cinco funcionários.

O impacto real das negociações da shunto começará a ser sentido a partir do verão.

A questão chave agora é se o efeito positivo nas pequenas empresas se traduzirá em aumentos salariais reais para a população trabalhadora mais ampla.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Asahi Shimbun

Total
0
Shares
Previous Article
Tribunal Distrital de Oita, no sudoeste do Japão | ©Kyodo Images

Justiça japonesa condena à morte homem que matou mãe e filho em Oita

Next Article
Pessoas no distrito de Kabukicho | ©Issei Kato

Homem é preso após agredir profissional do sexo em Tóquio

Related Posts