Economia Notícias

PIB do Japão supera expectativas e cresce 1,9% no 2º trimestre

©Kyodo

Apesar do crescimento, a recuperação econômica do Japão continua frágil, atrasada em relação a outras economias avançadas.

A economia japonesa cresceu mais rápido do que o inicialmente estimado no trimestre abril-junho, ajudada por gastos de capital sólidos, embora o ressurgimento de infecções por Covid-19 esteja minando o consumo do setor de serviços e obscurecendo as perspectivas.

Dados revisados ​do Produto Interno Bruto (PIB) do Japão mostraram que a economia cresceu 1,9% no segundo trimestre em termos anualizados, superando a previsão mediana dos economistas de um ganho de 1,6% e a estimativa inicial de uma expansão de 1,3%, informou o Escritório do Gabinete do Governo nesta quarta-feira (08).

A revisão positiva foi impulsionada por gastos empresariais melhores do que os inicialmente estimados, já que uma rápida recuperação econômica global impulsionou os gastos de capital e a produção industrial, compensando a fraca atividade do setor de serviços.

Contudo, a recuperação econômica do Japão permanece frágil devido, em parte, à lentidão na vacinação contra Covid-19 e à medida que as restrições à pandemia prejudicam a atividade do setor privado.

Recuperação lenta da economia japonesa

Segundo Takeshi Minami, economista-chefe do Instituto de Pesquisa Norinchukin, “a recuperação do Japão está atrasada em relação a outras economias avançadas. Assim, a recuperação total da economia precisa esperar pelo menos até o início do próximo ano”.

No entanto, a escassez global de chips pode prejudicar a produção e os embarques de automóveis japoneses, enquanto os sinais de desaceleração econômica da China surgem como fontes de preocupação.

“O crescimento de 1,9% de abril a junho não foi suficiente para superar a queda de quase 4% em janeiro-março – menos da metade”, disse Yoshiki Shinke, economista-chefe do Dai-ichi Life Research Institute. “Em média, ‘estagnar’ pode ser a principal descrição da economia do Japão durante o primeiro semestre de 2021.”

Na comparação trimestral, o PIB no trimestre entre abril e junho cresceu 0,5% sobre o trimestre janeiro-março em termos ajustados aos preços, contra leitura inicial de alta de 0,3% e expectativa de avanço de 0,4%.

Gastos de capital do Japão

O componente de despesas de capital do PIB cresceu 2,3% no segundo trimestre de janeiro a março, acima da mediana das projeções de 2,0% de crescimento e do ganho preliminar de 1,7%.

O componente de gastos de capital do PIB cresceu 2,3% no segundo trimestre contra o período de janeiro a março, ante expectativa de avanço de 2,0% e ganho preliminar de 1,7%.

Consumo privado japonês

O consumo privado, que responde por mais da metade do PIB do Japão, cresceu 0,9% no período abril-junho em relação aos três meses anteriores, ligeiramente acima de uma estimativa preliminar de um ganho de 0,8%.

A demanda doméstica contribuiu com 0,8 ponto percentual para os dados revisados ​​de crescimento, enquanto as exportações líquidas – ou exportações menos importações – reduziram 0,3 ponto percentual do crescimento do segundo trimestre.

Sentimento do setor de serviços e gastos das famílias

Dados separados mostraram a pesquisa de observadores da economia, um indicador do sentimento do setor de serviços que, por sua vez, caiu para seu menor nível em sete meses, marcando o ritmo mais lento desde fevereiro de 2020.

O governo rebaixou a avaliação geral dos observadores sobre a economia, dizendo “há pontos fracos na recuperação devido ao efeito da Covid-19”.

Os dados vieram um dia depois da divulgação dos gastos das famílias em julho, que mostrou uma leitura mais fraca do que o esperado, sugerindo que o ressurgimento dos casos de Covid-19 poderia ter começado a prejudicar as atividades de consumo ainda no início do trimestre atual.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Agência Reuters.