Economia Notícias

Japão vai elevar pacote de estímulo acima de 40 trilhões de ienes

©Depositphotos

Orçamento gigantesco inclui auxílio financeiro a famílias, a menores de 18 anos, a universitários e a empresas afetadas pela Covid-19.

Os gastos do governo japonês em um conjunto de medidas de estímulo econômico a serem finalizadas na próxima semana excederão 40 trilhões de ienes (US$ 350 bilhões), expandindo de seu plano inicial de cerca de 30 trilhões de ienes devido, em grande parte, a auxílios emergenciais em dinheiro, informou nesta sexta-feira (12) a Kyodo e o Nikkei Asia, ambos citando fontes próximas ao assunto.

De acordo com as medidas para aliviar os efeitos negativos da pandemia, o governo pagará 100.000 ienes em dinheiro e vouchers em auxílio para menores de 18 anos, no que resultará num montante de 2 trilhões de ienes.

Também serão alocados 5 trilhões de ienes em investimentos e empréstimos do Tesouro para fundos universitários.

O pacote, que o gabinete do primeiro-ministro Fumio Kishida deve aprovar em 19 de novembro, também incluirá ajuda financeira de até 2,5 milhões de ienes para cada empresa que estiver enfrentando queda nas receitas devido a Covid-19, totalizando 3 trilhões de ienes .

Haverá ainda aumentos salariais de cerca de 3% para funcionários de creches e cuidadores, bem como profissionais de enfermagem, disseram as fontes.

Junto com os fundos que sobraram do orçamento fiscal de 2020 e a emissão de novos títulos, o estímulo está planejado para ser financiado por um orçamento suplementar, que a administração de Kishida pretende promulgar após sua aprovação durante uma sessão parlamentar extraordinária a ser convocada até o fim do ano.

Algumas medidas de política serão financiadas por um orçamento para o próximo ano fiscal, que começa em abril de 2022. Os gastos fiscais adicionais podem prejudicar ainda mais a solidez fiscal do governo, que já é a pior entre os principais países desenvolvidos, com mais de 1.200 trilhões de ienes em dívida pública até março deste ano, quando terminou o ano fiscal de 2020.

Reiniciar o programa governamental “Go To Travel”, que visa subsidiar despesas com viagens para ajudar a indústria do turismo doméstico afetada pelo coronavírus, também estará entre as medidas de estímulo, disseram as fontes. O programa foi suspenso em meio à rápida disseminação de infecções.

Kishida disse que o tamanho do pacote será de “várias dezenas de trilhões de ienes”.

O maior pacote de estímulo econômico emergencial do Japão até agora foi o aprovado pelo Gabinete em abril de 2020, logo no início da pandemia, com gastos do governo de 48,4 trilhões de ienes.

Essa medida foi muito maior do que o pacote de estímulo econômico de 15,4 trilhões de ienes compilado em abril de 2009 após a crise financeira global de 2008-2009.

O último estímulo é comparável ao pacote de abril de 2020.

== Mundo-Nipo (MN)
Fontes: Kyodo News | Nikkei Asia

Foto: Depositphotos