Esportes

Japão descarta logomarca recém-criada para Olimpíadas de 2020

Criada pelo artista Kenjiro Sano, a polêmica logomarca foi alvo de denúncia de plágio.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

Depois de ter de rever o polêmico projeto do estádio olímpico que será a seda das Olimpíadas de 2020 na capital japonesa, agora o Comitê Olímpico de Tóquio precisará mudar a logomarca do evento.

A polêmica logo criada pelo artista Kenjiro Sano, que venceu o concurso da marca para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2020, em Tóquio, foi alvo de denúncia de plágio. Isso porque a logomarca criada por Sano é extremamente semelhante a do Teatro de Liège, na Bélgica, criada em 2013.

A partir daí, outros trabalhos do artista também começaram a ser questionados, como o símbolo do Zoológico de Nagoya, que lembra o do Museu Nacional da Costa Rica.

Kenjiro Sano sempre negou que tivesse copiado a marca olímpica. Disse que nem conhecia o desenho que veio da Bélgica.

O Comitê Olímpico de Tóquio deixou bem claro nesta terça-feira que não há provas do plágio. Mas para os japoneses, um erro de Sano condenou o artista.

No material de apresentação da marca de Tóquio, a foto de um aeroporto foi exibida. Mas ela foi retirada, sem autorização, de um site da internet e alterada, colocando-se o símbolo dos Jogos. Foi a gota d’água para pôr um fim a tantas suspeitas.

“Me sinto traído”, disse o governador de Tóquio, Yoichi Masuzoe.

A organização dos Jogos já estava balançada pela decisão de se refazer o projeto do futuro estádio olímpico, na busca por um mais barato. Agora, um novo emblema será escolhido. Os metódicos japoneses não esperavam tantas mudanças.

O designer que foi o autor do desenho do Teatro de Liège disse que ficou feliz com a decisão dos japoneses, mas afirmou que vai continuar com o processo por plágio que move na Justiça contra o Comitê Olímpico do Japão.

Fontes: Agência Kyodo | Globo News.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •