Esportes

Nadadores do Japão treinam escoltados por polícia em São Paulo

Foto: Arquivo/Creative Commons)
Foto: Arquivo/Creative Commons)

A chefe da delegação japonesa de natação disse que teme por ataques terroristas, além da violência/criminalidade no Brasil.

Em meio a ameaças terroristas, além da criminalidade no Brasil, o esquema de segurança dos atletas para as Jogos Olímpicos do Rio foi reforçado. De acordo com uma publicação do jornal ‘O Globo’, nadadores de Japão e Israel treinaram na última quarta-feira até com polícia em volta da piscina no Clube Hebraica, na zona sul de São Paulo.

Os atletas de Japão e Israel, que disputarão as Olimpíadas, escolheram São Paulo como local de preparação por acharem mais seguro. Contudo, já à porta do clube na capital paulista, pelo menos seis policiais civis portavam fuzis ao redor de uma viatura. Há informações de que agentes da Abin e Polícia Federal também estão trabalhando à paisana nas imediações, adiantou o jornal.

Após o treino do Japão, o vice-cônsul de Israel em São Paulo apareceu na piscina do clube para recepcionar os nadadores do seu país.

O vice-cônsul estava acompanhado de um policial civil armado, mas não quis falar sobre o reforço na segurança. O foto-jornalista Marcos Alves, do ‘O Globo’, registrou a presença da polícia à beira da água, mas o jornalista não foi autorizado a falar com os atletas.

Chefe da delegação japonesa de natação, Sayaka Muramatsu, estranhou o clima de policiamento, mas disse se sentir mais seguro em São Paulo do que no Rio de Janeiro.

“O Rio é mais perigoso que São Paulo. No Japão, não estamos acostumados a ver tantos homens armados na rua, pois é um lugar muito seguro”, disse ela ao ‘O Globo’.

Responsável pelos 20 nadadores que estão treinando no Hebraica, Sayaka disse que também sente medo de ataques terroristas durante os Jogos Olímpicos:

“Tenho um pouco de medo não por ser no Brasil, mas por ser um evento que envolve muitos países que são alvo do terrorismo”, concluiu.

Segundo a agência de notícias Efe, porta-vozes da delegação japonesa de natação disseram que receberam a recomendação de não saírem a lugares públicos com o uniforme oficial e foram orientados a usar roupas de mangas compridas para evitar a picada do mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus de zika, dengue e chicungunha.

As instalações do Esporte Clube Pinheiros, vizinho do Clube Hebraica, acolherão a partir desta sexta-feira (22) atletas chineses de 14 modalidades, enquanto o Clube Paineiras, no Morumbi, receberá a delegação japonesa de nado sincronizado.

(Foto: Arquivo/ Creative Commons)

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.