Esportes

Mais de 60% dos japoneses são contra a realização das Olimpíadas em 2021

©E. Hoshiko

Pesquisa nacional reitera a insatisfação da maioria dos japoneses, com 32% pedindo cancelamento e 31% querendo um novo adiamento.

Menos de 30% da população do Japão é a favor da realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio em 2021, de acordo uma pesquisa realizada pela emissora pública japonesa “NHK” em meados de dezembro.

A 32ª edição do maior evento esportivo do mundo estava programada para ser realizada em 2020 na capital japonesa. Mas, em razão da pandemia do novo coronavírus, foi reprogramada para acontecer em 2021, com início em 23 de julho e término em 8 de agosto.

Do total de entrevistados, apenas 27% é a favor do evento nas datas previstas, enquanto 32% querem o cancelamento e 31% um novo adiamento, outros 10% não responderam ou não têm opinião formada sobre o tema.

Segundo mostra a pesquisa, a opinião pública está cada vez mais vulnerável à realização dos Jogos. Mesmo com os avanços nos tratamentos e a chegada de vacinas ao mercado, a população tem se mostrado cada vez menos confiante.

No entanto, a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, acredita que o tempo, apesar do surgimento de novos casos de Covid-19, trará novamente estabilidade emocional e confiança aos japoneses.

“O público japonês e os residentes de Tóquio estão focados na situação atual, de momento com a doença [pandemia da Covid-19]. Nós estamos voltados para o futuro”, disse.

Outras duas pesquisas publicadas em dezembro por agências japonesas também indicaram o mesmo cenário.

A Jiji Press apontou que 21% desejam o cancelamento e 30% querem um novo adiamento. Já os resultados da agência Kyodo indicam uma rejeição maior, 61,2% não querem realizar o evento em 2021.

Segundo informou Koike, a possibilidade de cancelamento está longe de ser considerada pelas autoridades locais. A governadora também citou o olhar macro para o calendário esportivo mundial e a realização dos Jogos, já que qualquer nova alteração nas datas poderá impactar na realização dos Jogos de Inverno, em 2022, e as próximas Olimpíadas, em 2024, na França.

Vale lembrar que toda e qualquer alteração num evento deste porte também tem grandes impactos financeiros. Só para ter ideia, o adiamento de um ano por conta da pandemia do coronavírus já rendeu um acréscimo de R$ 13 bilhões ao orçamento final, que prevê gasto de quase R$ 81 bilhões.

== Mundo-Nipo (MN)