Mais Esportes Sociedade

Governo do Japão alerta turistas japoneses sobre criminalidade no Brasil

O governo emitiu um comunicado com “recomendações” para os japoneses que estarão no Brasil durante a Copa do Mundo.

Do Mundo-Nipo

Preocupado com seus cidadãos que estarão no Brasil durante a Copa do Mundo, o governo japonês alertou sobre riscos que os turistas estarão sujeitos a sofrer no país, como assalto, sequestro e fraudes com cartões de crédito.

Segundo informou a Agência France Presse (AFP), o Ministério das Relações Exteriores do país emitiu um comunicado onde recomenda aos viajantes japoneses que andem em grupo e que evitem sair à noite. Também aconselha que evitem locais desertos, se vistam com discrição e mantenham as câmeras fotográficas e outros dispositivos móveis fora da vista.

“Os crimes acontecem com uma frequência muito alta no Brasil em comparação com os parâmetros mundiais, incluindo crimes organizados que implicam narcóticos”, afirma o ministério em seu comunicado de recomendações aos viajantes, de acordo com a AFP.

O texto informa sobre índice de criminalidade em alguns estados do Brasil, principalmente nas cidades onde a seleção japonesa irá jogar.

“O número de assassinatos no estado de Pernambuco é 43 vezes mais elevado que no Japão e acontecem 200 vezes mais roubos”, afirma o ministério no texto.

Esses dados específicos sobre índice de criminalidade em Pernambuco é porque a estreia do Japão na Copa do Mundo é justamente em recife, capital do estado, onde a seleção japonesa jogará contra a Costa do Marfim, no dia 14 de junho. Depois enfrentará a Grécia no dia 19 de junho, em Natal, e fechará a participação na primeira fase contra a Colômbia no dia 24 de junho, em Cuiabá.

O ministério explicou ainda que abrirá escritórios temporários em três cidades sedes para ajudar os turistas do país com problemas.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta