Política

Chanceler japonês rebate críticas de diplomata chinesa

Fumio Kishida rebateu as criticas durante os debates de uma conferência internacional sobre segurança.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

Fumio Kishida em Munique (Imagem: NHK/Reprodução)

Em resposta, Fumio Kishida disse que o Japão já demonstrou arrependimento pelo seu papel na II Guerra Mundial (Imagem: NHK/Reprodução)

O chanceler do Japão, Fumio Kishida, reiterou que seu país está seguindo um curso de ações pacíficas. A declaração é em resposta aos comentários de uma diplomata do governo chinês, que criticou o Japão durante uma conferência internacional, onde representantes de diversas nações estão reunidos para discutirem questões sobre segurança, informou a imprensa japonesa.

As criticas foram feitas pela presidente da Comissão de Relações Estrangeiras do Congresso Nacional do Povo da China, Fu Ying, durante os debates da 50ª edição da Conferência de Segurança, em Munique, que começou na sexta-feira (31) e termina neste domingo (2).

Segundo a emissora NHK, Fu Ying declarou que será difícil para os líderes do Japão assumir um papel construtivo em uma parceria asiática sem que eles antes reconheçam os erros cometidos durante a Segunda Guerra Mundial.

Em resposta, Kishida declarou que o Japão já demonstrou arrependimento pelo seu papel na referida guerra, bem como o domínio colonial do país sobre algumas nações asiáticas.

O ministro afirmou ainda que o Japão está preocupado com o aumento acelerado dos gastos militares e do comércio de armamentos na Ásia, referindo-se, possivelmente, à expansão militar da China.

“O Japão irá fortalecer sua parceria com os Estados Unidos e irá assumir um papel ativo para alcançar paz, estabilidade e prosperidade mundial”, declarou o ministro durante a conferência, no sábado (1), de acordo com a Agência Kyodo.

As informações são da Agência Kyodo e da emissora NHK.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta