Política

Aprovação do gabinete japonês sobe mais de 5% após reforma ministerial

Pesquisa mostra que os japoneses aprovam a inédita presença de “cinco mulheres” em cargos ministeriais.

Do Mundo-Nipo com Agência Kyodo

O índice de aprovação ao gabinete do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, reformulado na última quarta-feira, subiu mais de 5 pontos percentuais na pesquisa realizada pela agência Kyodo, divulgada nesta sexta-feira (5).

 

Novo gabinete de Shinzo Abe (Foto: Shinichi Iizuka/AJW)

Pesquisa mostra que os japoneses aprovam a inédita presença de “cinco mulheres” em cargos ministeriais (Foto: Shinichi Iizuka/AJW)

 

A pesquisa nacional, realizada entre quarta-feira e quinta-feira, mostrou que o índice subiu para 54,9 por cento, contra 49,8 por cento registrados na pesquisa anterior, no início de agosto.

Do total de entrevistados, 46,9 por cento disseram que têm uma visão favorável do novo Conselho de Ministros, destacando o fato inédito do gabinete agora contar com cinco mulheres no cargo de ministras.

As mulheres agora representam um terço dos cargos de ministros do gabinete japonês. A iniciativa de Abe é para servir de exemplo às empresas do país, depois de o governo ter exigido mais oportunidades para o sexo feminino.

Duas mulheres ocupam ministérios de peso. Yuko Obuchi como ministra da Economia, Comércio e Indústria (Meti), e Sanae Takaichi, como ministra das Relações Internas.

A Comissão Nacional de Segurança Pública é liderada por Eriko Yamatani, que também é a ministra encarregada dos sequestros de japoneses pela Coreia do Norte.

Abe também criou um novo cargo no gabinete, do empoderamento feminino, chefiado por Haruko Arimura, que acumula ainda o cargo de ministra encarregada da taxa de natalidade e defesa do consumidor.

Tomomi Inada, ministra da Reforma Administrativa, também acumula o cargo de presidência do Conselho de Pesquisas de Políticas do PLD.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta