Política

Japão e ASEAN firmam cooperação de prevenção a catástrofes e terrorismo

O acordo acontece em meio ao movimento do governo japonês de definir novas regras sobre a exportação de armas.

Do Mundo-Nipo

Representantes dos países membros da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN, na sigla em inglês) e Japão concordaram nesta terça-feira (18) em ampliar a cooperação no desenvolvimento conjunto de equipamentos para o combate ao terrorismo e prevenção a catástrofes naturais. O acordo acontece em meio ao movimento do governo japonês de definir novas regras sobre a exportação de armas.

Este é o primeiro encontro do tipo realizado em Okinawa, uma província que é vista como de extrema importância estratégica em meio a atividades assertivas no Mar da China e no espaço aéreo.

Durante a reunião, o vice-ministro da Defesa do Japão, Ryota Takeda, disse nesta terça-feira que o desenvolvimento de um sistema de alerta precoce e de um mecanismo de coleta de informações serão potenciais nas áreas de cooperação tecnológica.

O representante japonês disse ainda que houve “tentativas unilaterais para mudar o status quo pela força”, uma referência à China.

As questões entre Japão e nações membros da ASEAN cobrem vários temas que vão desde o suporte técnico pós-desastre na construção de infra-estruturas para a introdução de equipamentos de defesa japonesa, como radares infravermelhos e robôs não tripulados para desativar explosivos.

“Esperamos aprofundar e reforçar a cooperação, tendo em vista que os países membros da ASEAN são parceiros do Japão e que compartilham valores básicos e interesses estratégicos”, disse o primeiro-ministro Shinzo Abe em uma mensagem entregue à reunião que está acontecendo em Ginowan, uma das cidades em Okinawa de maior concentração de bases militares dos Estados Unidos.

Como parte da reformulação prevista de Abe sobre a política de defesa para reforçar as capacidades das Forças de Autodefesa e aumentar a sua presença no exterior, é esperado que o governo defina novas regras para a exportação de armas com o intuito de facilitar a comercialização de armamentos de defesa para outros países.

O vice-ministro disse aos membros que o Japão explicou sua revisão em curso da política restritiva sobre as exportações de armas, e ganhou apoio.

O Ministério da Defesa pretende mostrar equipamentos de defesa em uma base da Força Aérea de Autodefesa em Naha, capital de Okinawa, na quarta-feira (19) para explicar como o Japão realiza suas atividades de vigilância e de alerta no Mar do Leste da China.

Embora Tóquio e Pequim permaneçam em desacordo sobre a soberania das Ilhas Senkaku, a China parece estar na vanguarda em relação a visão de Abe sobre defesa, o que reforça o Japão a fortalecer os laços com a ASEAN.

Alguns membros da ASEAN, ou seja, Vietnã e Filipinas, estão enfrentando desafios marítimos semelhantes, já que também estão envolvidos em disputas territoriais com a China.

As nações membros da ASEAN envolvem Brunei, Camboja, Indonésia, Laos, Malásia, Mianmar, Filipinas, Cingapura, Tailândia e Vietnã. O Japão e a ASEAN realizarão uma reunião de cúpula em Tóquio, no final deste ano, para comemorar o 40º aniversário das relações bilaterais.

(Do Mundo-Nipo com a agência Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe um comentário