Política

Grupo islâmico afirma que refém japonês está vivo

O grupo declarou que o japonês é mantido como refém e se encontra em “bom estado de saúde”.

Do Mundo-Nipo

Vídeo mostra o suposto refém japonês Haruna Yukawa (Imagem: Reprodução/YouTube)

Vídeo mostra o suposto refém japonês Haruna Yukawa (Imagem: Reprodução/YouTube)

Um grupo extremista islâmico declarou que um cidadão japonês “encontra-se em seu poder como refém, “vivo e em bom estado de saúde”, conforme informou nesta quarta-feira (20) a emissora pública ‘NHK’.

O confuso caso sobre o suposto sequestro de um japonês começou após um vídeo divulgado na internet mostrar um homem que se identificava como Haruna Yukawa, e que estaria como refém do grupo Estado Islâmico nas proximidades de Aleppo, no norte da Síria. Desde então, a Embaixada do Japão na Jordânia, país vizinho à Síria, vem tentando confirmar os fatos.

Segundo informou a ‘NHK’, o homem estaria viajando com um grupo rival de rebeldes da Síria, de nome Frente Islâmica Síria, pouco antes de ser capturado.

Nesta quarta-feira, um membro do grupo em questão disse à NHK que recebera uma mensagem positiva do grupo Estado Islâmico para a troca de reféns. Afirmando que a Frente Islâmica Síria vinha conclamando o grupo rival Estado Islâmico a realizar uma troca de reféns, incluindo a libertação do cidadão japonês.

Ainda de acordo com a NHK, um membro da Frente Islâmica Síria teria dito que ainda não tem certeza sobre qual membro dos militantes respondeu à conclamação de seu grupo. Mencionou também que agora estão investigando a identidade da pessoa e que os dois lados estão trocando ideias sobre como decidir uma ocasião específica e local para as ditas negociações

Nesta quarta-feira, a Agência Kyodo citou fontes dizendo que o governo japonês se reuniu com o líder de um importante grupo rebelde sírio na Turquia, na segunda-feira à noite, para buscar garantir a libertação de um homem japonês.

O encontro com o sírio chefe da Coalizão Nacional Hadi al-Bahra teve lugar em Istambul, a pedido do governo japonês, conforme disse a fonte. Mas a força-tarefa na Jordânia do Ministério das Relações Exteriores, em Tóquio, se recusou a confirmar o contato.

O encontro com o chefe da Coalizão Nacional da Síria é a primeira ação concreta conhecida feita pelo governo japonês em seus esforços para verificar se de fato o cidadão japonês foi capturado.

A agência Kyodo destaca que, embora os detalhes da reunião ainda não estejam claros, a fonte disse que, nas conversas com o presidente da coalizão, o lado japonês solicitou ajuda para garantir a liberação do suposto refém japonês.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta