Sociedade

Encontrado corpo de capitão de petroleiro que explodiu no Japão

O corpo foi encontrado dentro do casco da embarcação, que explodiu perto do porto de Hameji.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

Petroleiro Shoko Maru em chamas (Foto: Kyodo)

Nuvens de fumaça negra foram expelidas pelo fogo que destruiu o petroleiro (Foto: Kyodo)

A Guarda Costeira Japonesa informou que o corpo do capitão do petroleiro que explodiu no litoral de Himeji na última quinta-feira foi encontrado no sábado (31), no casco do navio naufragado.

Masaichi Ando, de 64 anos, estava desaparecido desde a manhã da quinta, quando o navio explodiu próximo ao porto de Himeji, na província de Hyogo, localizada no oeste da região central do Japão.

De acordo com a guarda costeira, o corpo do capitão foi encontrado por mergulhadores dentro do casco da embarcação, que explodiu quando estava ancorada a cerca de seis quilômetros do litoral de Hameji, naufragando poucas horas após o acidente.

Outros sete tripulantes da embarcação foram resgatados depois da explosão. Entre eles, o contramestre Yoshimichi Ogata, de 61anos, continua em estado crítico, com graves queimaduras.

O superpetroleiro ‘Shoko Maru’, de 81 metros de comprimento e 998 toneladas, estava sem carga no momento da explosão. O combustível que transportava havia sido descarregado no último dia 23, no porto da cidade de Aioi, também localizada na província de Hyogo.

“A causa da explosão ainda não está clara”, disse o porta-voz da guarda costeira, Koji Takarada, acrescentando que os membros da tripulação estavam trabalhando no convés do navio no momento da explosão.

Acredita-se que o motivo do acidente foi uma faísca do gás que teria evaporado do petróleo restante nas cisternas, já que a explosão aconteceu quando o próprio capitão do navio limpava o óxido da cobertura, segundo o relato dos tripulantes.

(com informações da Agência Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta