Sociedade

Família processa Correio do Japão por suicídio de funcionário

A família do ex-funcionário do Japan Post, que cometeu suicídio em 2010, está exigindo uma indenização de 80 milhões de ienes.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

Logo do Japan Post (Foto: Reprodução)

O Japan Post declarou que não poderia fazer comentários antes de inteirar-se sobre o teor do processo (Foto: Reprodução)

A família de um ex-funcionário do correio japonês, que cometeu suicídio em 2010, está exigindo uma indenização de 80 milhões de ienes (cerca de R$ 1,8 milhão), alegando que o suicídio foi devido ao estresse causado pela pressão sofrida no trabalho, informou o jornal japonês Tokyo Shimbun, de acordo com a revista online ‘Alternativa’.

A ação judicial contra o Correio do Japão (Japan Post) foi movida na última quinta-feira no Tribunal Regional de Saitama, na capital da província de mesmo nome e local da agência de correios onde o funcionário de 51 anos trabalhava.

Segundo a ação, o Correio obrigava o funcionário a cumprir uma norma de vendas, que incluía 7 mil cartões de Ano Novo (nengajou) e outros produtos. Devido a essa pressão, ele foi diagnosticado com depressão e estresse em 2008 e pediu para mudar de seção.

A família alega que o órgão não atendeu ao pedido de transferência e continuou fazendo as exigências, afirmando que o funcionário era obrigado a pagar do próprio bolso caso não cumprisse a meta de vendas.

Em dezembro de 2010, o homem pulou do quarto andar da agência onde trabalhava, morrendo logo após cair no chão. A família acha que ele cometeu suicídio por não suportar mais a pressão no trabalho, além do estresse, e que o Correio não tomou as devidas providências.

O Japan Post declarou que não poderia fazer comentários sobre o caso porque o teor do processo não tinha chegado ainda. Mas adiantou que não obriga os funcionários a cumprirem normas de vendas, apesar de estipular metas.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta