Sociedade

Japão continua se posicionando mal em ranking de igualdade de gêneros

A baixa participação das japonesas na economia e na política tem levado o Japão a se posicionar mal no importante ranking anual do Fórum Econômico Mundial.

O Japão, mais uma vez, teve péssima classificação no ranking de igualdade de gênero divulgado nesta semana pelo Fórum Econômico Mundial. Segundo o estudo Global Gender Report 2014, a baixa participação das japonesas na economia e na política, levou o país a se posicionar na 104ª posição em um total de 142 nações analisadas. O Japão ficou com 0,6584 pontos, numa escala em que o 1 é a igualdade máxima de gênero.

O índice leva em consideração quatro variáveis: participação e oportunidades econômicas (questões salariais e condições trabalhistas), poderio político (representatividade de homens e mulheres nas diferentes instituições públicas nacionais), desempenho educacional (alfabetização, número de matrículas) e saúde (taxa de natalidade por sexo e expectativa de vida).

Os países nórdicos lideram a lista. A Islândia aparece como o país mais igualitário do mundo, seguida de perto por Finlândia, Noruega e Suécia. Na outra ponta do ranking, o Iêmen é o mais desigual. O Paquistão figura na penúltima posição, e o Chade, na penúltima.

O Brasil caiu nove posições e agora aparece na 71ª colocação. No relatório do ano passado, o país figurava no 62º lugar. O recuo interrompe uma escalada brasileira na tabela desde 2010, quando ocupava o 85º lugar entre 135 países.

No caso do Japão, ficou comprovado que o governo Shinzo Abe vai precisar se desdobrar muito para diminuir a disparidade de gêneros se quiser promover as mulheres, como vem anunciando.

O país ficou na 37ª posição na área de saúde, 93ª em educação, 102ª em oportunidades na economia (inclui salários e cargos) e 129ª na política. No geral, o país ficou no 104º lugar, a pior posição do ranking entre todos os países desenvolvidos. No relatório do ano passado, o país figurava no 105º lugar.

Na remodelação dos ministérios em setembro, o premiê japonês nomeou cinco ministras como símbolo de sua política para promover as mulheres, no chamado “empoderamento feminino”. Entretanto, em menos de dois meses, duas líderes das principais pastas (Ministérios da Economia e da Justiça) acabaram renunciando ao posto por envolvimento em escândalos.

Veja abaixo  20 países melhores classificados no Global Gender Report 2014 (incluindo Japão e Brasil):

P   País           Pontos
1   Islândia       0,8594
2   Finlândia      0,8453
3   Noruega        0,8374
4   Suécia         0,8165
5   Dinamarca      0,8025
6   Nicarágua      0,7894
7   Ruanda         0,7854
8   Irlanda        0,7850
9   Filipinas      0,7814
10  Bélgica        0,7809
11  Suíça          0,7798
12  Alemanha       0,7780
13  Nova Zelândia  0,7772
14  Holanda        0,7730
15  Letônia        0,7691
16  França         0,7588
17  Burundi        0,7565
18  África do Sul  0,7527
19  Canadá         0,7464
20  Estados Unidos 0,7463
71  Brasil         0,6941
104 Japão          0,6584

Do Mundo-Nipo
Fonte: 

Deixe um comentário