Tecnologia

Google atualiza imagens das áreas afetadas pela tragédia de 2011 no Japão

Segundo o Google, o objetivo é fazer um “antes e depois” da tragédia para mostrar a capacidade de recuperação do Japão.

O serviço digital Street View do Google publicou nesta quarta-feira (2) imagens atualizadas das áreas afetadas pelo tsunami, gerado pelo terremoto de 9 graus, que devastou grande parte do nordeste do Japão em 11 de março de 2011.

Construções danificadas em Miyagi (Fotos: Reprodução/Google Street View)

As fotos mostram o “antes”, com prédios em ruínas em um distrito em Miyagi após o terremoto de 2011, e o “depois”, ou seja, após a reconstrução do local (Fotos: Reprodução/Google Street View)

As novas imagens digitais, que têm ângulo de 360 graus, são referentes a 82 municípios da região e suas publicações ocorrem a poucos dias de completar o quinto aniversário da catástrofe, na qual mais de 18 mil pessoas morreram, incluindo aqueles que nunca foram encontrados.

Além da devastação de várias cidades, o gigantesco tsunami atingiu a central atômica Fukushima Daiichi, na província de Fukushima, o que desencadeou a pior desastre nuclear desde a ocorrida em 1986, em Chernobyl, na Ucrânia.

Com isso, milhares de pessoas ficaram desabrigadas após serem evacuadas das áreas próximas à usina, no que resultou em várias cidades abandonadas por conta da radiação. Muitas áreas ainda continuam com entrada proibida mesmo após quase 5 anos da tragédia.

Em junho de 2011, o Google enviou carros do Street View para registrarem os estragos gerados pela catástrofe. As imagens colhidas são tanto das áreas devastadas pelo tsunami como as que ainda se encontram na chamada “zona proibida”, onde cidades inteiras seguem desertas por conta dos altos níveis de radiação.

Desde então, o Google tem atualizado anualmente estas imagens. Segundo o Google, o objetivo da empresa não é registrar “a destruição”, mas fazer um “antes e depois” para mostrar a capacidade de recuperação do Japão, que ainda luta para reconstruir a região que foi praticamente devastada.

Ao todo, o serviço está disponibilizando a atualização de imagens de 82 municipalidades desde a captura feita após o desastre.

“Esperamos que as fotos possibilitem a todos uma comparação entre o passado e presente nas áreas afetadas e uma reflexão sobre a recuperação da região”, indicou Wakaba Ohkura, da equipe ‘Google Japan’, à emissora pública japonesa ‘NHK’.

“Ao disponibilizarmos estas novas imagens, esperamos que as pessoas do Japão e de todo o mundo possam explorar virtualmente as cidades e entender melhor como os governos locais estão trabalhando para reconstruir as casas e as vidas dos moradores”, disse empresa em comunicado, de acordo com a agência de notícias Kyodo.

As imagens, obtidas pelo Google logo após a catástrofe de 11 de março de 2011 e durante os trabalhos de reconstrução posteriores, fazem parte de um projeto criado no mesmo ano da tragédia para memória futura.

O projeto inicial, denominado “Mirai e no kioku” (Memórias para o Futuro), foi lançado pela empresa norte-americana em maio de 2011 para levar as pessoas a compartilhar e comentar fotografias das áreas afetadas antes e depois da tragédia.

Em julho do mesmo ano, a Google lançou outro projeto para estabelecer um arquivo digital de imagens das zonas mais afetadas através do serviço Street View.

Todas as imagens estão disponíveis no projeto Memórias para o Futuro e podem ser consultadas por todos os usuários do Google.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta