Espacial

Japão lançará sonda equipada com ‘canhão’ capaz de perfurar asteroides

Equipada com um “canhão espacial”, a sonda Hayabusa-2 será lançada no final deste ano.

Do Mundo-Nipo com Agências

A Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (JAXA) está desenvolvendo uma sonda “caçadora de asteroides”, com a qual espera perfurar a superfície de um corpo celeste para recolher material de seu subsolo, conforme informou a agência AFP.

 

Sonda japonesa Hayabusa (Foto: JAXA)

A imagem mostra a sonda Hayabusa, o primeiro explorador de asteroide da agência espacial japonesa, que foi lançada em 2003 (Foto: JAXA)

 

A sonda, denominada Hayabusa-2, será lançada no final deste ano e seu destino será o asteroide “1999 JU3”, onde chegará em meados de 2018.

A Hayabusa-2 está sendo equipada com uma espécie de “canhão espacial”, destinado a disparar “bola de metal” contra a superfície do asteroide que, segundo a agência, resultará em uma cratera de vários metros de diâmetro.

Em seguida, a sonda vai pousar na cratera para extrair amostras de seu subsolo. Se a missão for bem sucedida, as amostras do asteroide chegarão à Terra a bordo da Hayabusa-2 em 2020.

Segundo a JAXA, o “1999 JU3” possuiu um formato esférico e tem cerca de um quilómetro. Ele contém água e carbono, e seu estudo ajudará a decifrar alguns dos mistérios do sistema solar e sua origem, conforme informou a AFP.

De acordo com a agência Kyodo, esta sonda é o sucessora do Hayabusa, o primeiro explorador de asteroide da agência espacial japonesa. Lançada em 2003, Hayabusa percorreu aproximadamente 5 bilhões de km e regressou ao Japão em 2010, trazendo uma carga valiosa de partículas de poeira recolhidas da superfície do asteroide Itokawa. Esta foi a primeira vez na história da conquista espacial que uma sonda voltou à Terra depois de ter entrado em contato com um asteroide.

(Com informações da agência Kyodo e AFP)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*