Ciência e Saúde

Japão prorrogará restrições a entrada de estrangeiros

©Reuters

Variante ômicron está se expandindo rapidamente no Japão. Especialistas pediram ao premiê japonês restrições contínuas até fevereiro.

O governo do Japão pretende prorrogar a proibição de novas chegadas de estrangeiros, segundo noticiou o jornal Nikkei Asia, acrescentando que a restrição deverá ser feito pelo primeiro-ministro Fumio Kishida já na terça-feira, uma medida que tem como meta impedir a propagação altamente transmissível do vírus ômicron, a mais recente variante da Covid-19 .

De acordo com o Nikkei Asia. Kishida se reuniu nesta segunda-feira com seu Gabinete para trocar informações sobre infecções e hospitalizações no país. A duração da extensão ainda não foi determinada, mas uma proposta manteria a proibição em vigor até o final de fevereiro.

Ao mesmo tempo, o governo considera suspender uma restrição que agora impede os portadores de visto de reentrar no Japão a partir da África do Sul e de alguns outros países.

Japão facilitará entrada de turistas estrangeiros ‘ricos’

Japão tem mais de 70% de sua população totalmente vacinada

A medida para continuar as restrições aos viajantes que entram no Japão ocorre em meio a uma nova onda de infecções. Tóquio registrou 871 novos casos de Covid-19 na segunda-feira, data local (domingo no Brasil). O número é mais de oito vezes superior ao registrado no mesmo dia da semana passada.

Em todo o país, os novos casos de Covid-19 totalizaram 6.438 na segunda-feira, abaixo dos mais de 8.000 no dia anterior.

Kishida também se reuniu com especialistas em doenças infecciosas, os quais o aconselharam a acelerar as doses de reforço de vacina para idosos. Inicialmente, a recomendação das autoridades de saúde do Japão era que a dose extra fosse dada oito meses após a segunda.

Os especialistas também pediram para expandir o fornecimento de pílulas para tratamento da Covid-19 e aumentar os testes na população.

Estado de emergência e restrições fronteiriças

Na semana passada, Kishida autorizou que três províncias do país (Okinawa, Yamaguchi e Hiroshima)  entrassem em um estado de “quase emergência” contra a Covid-19, o que permite aos governos locais solicitar, por exemplo, que restaurantes fechem mais cedo, para conter a disseminação da variante ômicron.

O premiê havia sinalizado que o Japão estenderia as restrições na fronteira em entrevista coletiva em 4 de janeiro. A medida foi adotada no fim de novembro, logo depois do surgimento da ômicron na África do Sul. No último dia 21 de dezembro, o governo de Kishida disse que a proibição permaneceria em vigor “por enquanto”.

Apenas pacientes em estado grave serão hospitalizados

O governo de Kishida pretende fortalecer sua resposta à variante ômicron, adotando medidas como permitir que pacientes com sintomas leves se recuperem em casa para liberar leitos hospitalares para casos mais graves, bem como expandir a capacidade de testes gratuitos de covid.

Japão disponibiliza pílulas para tratamento de Covid-19

Uma pílula de tratamento para a Covid-19, da farmacêutica Merck, já está disponível em 14.000 instituições médicas e farmácias em todo o Japão. Espera-se que outra pílula da Pfizer seja aprovada este mês para uso a partir de fevereiro.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Nikkei Asian.