Meio ambiente e Energia

Japão vai gastar 40 bilhões de ienes para tratar água radioativa em Fukushima

O trabalho vai começar neste ano fiscal, e cerca de metade da verba anunciada (402,6 milhões de dólares), deve sair dos contribuintes.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

O governo do Japão pretende gastar pelo menos 40 bilhões de ienes (402,6 milhões de dólares) para conter o vazamento de água radioativa na usina nuclear Fukushima Daiichi, informou a agência Kyodo, citando fontes governamentais.

O governo disse que irá anunciar na terça-feira (3) um pacote de medidas para lidar com a crise na usina operada pela Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco, na sigla em inglês). A verba deve cobrir os gastos com o congelamento do terreno ao redor dos reatores para evitar que a água do lençol freático se misture à água contaminada no interior da usina.

O trabalho vai começar neste ano fiscal, e cerca de metade da verba deve sair do fundo de contingências do país.

Na manhã desta segunda-feira, o governo disse que as medidas serão apresentadas em uma reunião ministerial chefiada pelo primeiro-ministro Shinzo Abe, e deverão incluir passos a serem financiados pelo dinheiro dos contribuintes.

“Esta é uma questão de urgência. O governo vai fazer tudo o que deve dentro de sua responsabilidade, mesmo que tenha de usar fundos de reserva”, disse o secretário chefe, Yoshihide Suga, em uma conferência de imprensa nesta segunda-feira.

Mais cedo, a Tepco também informou que seus técnicos encontraram uma nova área de radiação elevada perto de tanques de armazenamento construídos às pressas para armazenar a água, que foi usada para resfriar os reatores danificados pelo gigantesco tsunami gerado pelo terremoto no dia 11 de março de 2011.

 

Veja mais notícias sobre Meio ambiente e Energia, clique em mundo-nipo.com/variedades/curiosidadesSiga também o Mundo-Nipo no Twitter e Facebook.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •