Política

Nevascas e desmotivação marcam eleições no Japão

As nevascas coincidem com as eleições antecipadas convocados por Shinzo Abe, mas sem entusiasmo entre os eleitores.

  •  
  •  
  •  
  • 0
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo com Agências

O domingo de eleição no Japão está sendo marcada por fortes nevascas em várias regiões do país, com mais de 104 milhões de pessoas convocadas a votar para renovar a Câmara Baixa do Parlamento.

Uma frente fria e neve têm afetando o fim de semana regiões do centro e do norte do arquipélago japonês, onde se registraram nevascas de mais de um metro de acumulo e temperaturas em zonas montanhosas de 30 graus abaixo de zero, o que poderia estar afetando o comparecimento às urnas.

A Agência Meteorológica do Japão (JMA) advertiu sobre problemas causados pelo congelamento da neve, principalmente na superfície das estradas, e pediu aos cidadãos que mantenham a precaução perante possíveis avalanches.

Esta frente de neve coincide com os pleitos antecipados convocados pelo primeiro-ministro, Shinzo Abe, cujo partido parte como favorito, embora a campanha não tenha despertado entusiasmo entre os eleitores.

Nesse sentido, a participação até as 16h (horário local, 3h de Brasília) se situava em 29,11%, 5,76 pontos abaixo do pleito de 2012, segundo os dados divulgados pelo Ministério do Interior japonês.

Nas eleições gerais dois anos atrás, a participação foi de 59%, a mais baixa desde a Segunda Guerra Mundial.

Nas eleições de hoje, quase 1.200 candidatos de 15 partidos se apresentam para as 475 cadeiras da Câmara Baixa, controlada nos últimos dois anos pelo Partido Liberal-Democrata (PLD) de Abe e seus parceiros de governo, o budista Novo Komeito.

A legenda conservadora do primeiro-ministro poderia superar sua atual maioria e fortalecer seu poder depois que Abe propôs este pleito como um referendo a sua política econômica conhecida como “Abenomics”, um plano de agressivos estímulos monetários e um gigantesco gasto público que pretende tirar o Japão da deflação.

As últimas pesquisas apontam que o PLD conseguirá revalidar sua vitória e inclusive aumentar a maioria obtida em 2012, quando o partido do primeiro-ministro recuperou o poder após três anos na oposição.

(Com informações das agências Kyodo e EFE) 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  • 0
  •  
  •  
  •  
  •