Tecnologia

Japão perde contato com importante satélite de observação

O satélite astronômico Astro-H foi lançado em 17 de fevereiro para observar buracos negros e agrupamentos de galáxias.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Agência de Exploração Espacial Japonesa (Jaxa, na sigla em inglês) informou nesta segunda-feira (28) que perdeu contato com seu satélite astronômico Astro-H, lançado no dia 17 de fevereiro para observar buracos negros e agrupamentos de galáxias.

Segundo a agência de notícias ‘EFE’, a Jaxa está investigando a causa da falha de comunicação para recuperar o contato com o satélite, cujo o sinal foi recebido por um breve instante.

Contudo, a agência reconheceu que não é capaz de precisar qual é situação atual do equipamento, já que a comunicação com o satélite falhou desde o início de suas operações – que estavam programadas para sábado (26), às 16h40 (horário local, 4h40 de Brasília), conforme noticiou a agência francesa.

O Centro Conjunto de Operações Espaciais dos Estados Unidos (JSpOC, na sigla em inglês), que rastreia objetos artificiais em órbita ao redor da Terra, informou pelo Twitter que observou cinco objetos perto da posição do satélite japonês – o que pode significar que o aparelho teve várias “rupturas”.

O Astro-H tem cerca de 14 metros de comprimento, pesa 2,7 toneladas e é o satélite mais pesado já lançado pelo Japão e o primeiro do tipo.

O dispositivo, fabricado pela Jaxa e pela Nasa junto com outras instituições, tinha o objetivo de orbitar a cerca de 580 quilômetros de distância da superfície terrestre para observar buracos negros e galáxias distantes – através de seus detectores de raios gama e quatro telescópios de raios-X.

O satélite foi lançado em 17 de fevereiro, a bordo de um foguete H-2A, a partir da estação espacial da ilha de Tanegashima, na província de Kagoshima, sudoeste do Japão.

(Com informações da Agência EFE)

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta