Esportes

Diego e Nory se superam e dão ao Brasil prata e bronze no solo da ginástica

Diego e Nory se abraçam após conquistarem prata e bronze na final do solo da ginástica nos Jogos Rio 2016 (Foto: USA Today Sports)

O pódio não era algo esperado para Diego e Nory. O feito inédito da dupla fez a alegria dos brasileiros neste domingo.

Deu Brasil em segundo e primeiro lugares na final do solo da ginástica artística masculina nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Neste domingo (14), os ginastas brasileiros Diego Hypólito e Arthur Nory deram aos brasileiros motivos para festejar ao conquistarem as inéditas medalhas de prata e bronze na modalidade.

Para chegar à final no solo, o experiente Diego, de 30 anos, obteve a nota 15,500 e ficou na quarta posição geral. O estreante Arthur Nory, de 22 anos, que ficou em nono lugar com 15,200, também avançou à decisão. Contudo, o máximo que se esperava era uma medalha de bronze, com muita sorte, para Diego e, na melhor das hipóteses, uma quinta colocação para Nory.

Entretanto, a dupla brasileira fez uma apresentação impecável, sem erros, ambos não sofreram nenhuma penalidade. Diego foi o segundo a se apresentar e alcançou a excelente nota 15,533.  Nory surpreendeu ao realizar exercícios seguros, também sem erros, o que lhe valeu 15,433. Os dois conseguiram melhorar, e muito, suas notas classificatórias.

O campeão da prova foi o britânico Max Whitlock, que tirou nota 15.633 e foi o único entre os favoritos que não errou na final.

Diego e Nory superaram Kenzo Shirai, do Japão, atual campeão mundial e que era favoritíssimo para essa prova. O atleta, que cometeu dois erros durante a sua apresentação, ficou sem medalha ao somar 15,366 pontos.

Outros atletas também cometeram faltas, como o japonês Kohei Uchimura, o primeiro a se apresentar. Ele chegou apenas aos 15,241 pontos após perder 0.300 ao pisar fora da área determinada.

Diego, que já foi bicampeão mundial do solo, chegou a duas Olimpíadas como favorito, caiu na final de Pequim 2008 e ainda na classificatória de 2012. Desta vez foi diferente porque não carregou o peso do favoritismo.

“Na primeira Olimpíada [Pequim 2008] eu caí de bunda, na segunda [Londres 2012] eu caí de cara e nessa [Rio 2016] eu caí de pé”, disse Diego emocionado à TV Globo após receber a tão sonhada medalha olímpica.

O pódio não era algo esperado para os brasileiros nesta prova. Diego Hypolito havia dito que queria apenas acertar sua série. Mas fez muito mais e garantiu sua primeira medalha olímpica. Nory, por sua vez, havia entrado na Olimpíada em busca da final por aparelhos da barra fixa. Embora o solo não fosse o seu plano inicial, conquistou o bronze.

Fontes: Rio 2016 | TV Globo.

Comentários