Variedades

Filme japonês com temática LGBT é premiado no Festival de Berlim

Close Knit (Foto: Reprodução)

“Close Knit” levou o Prêmio Teddy, que privilegia produções do gênero LGBT.

O filme japonês “Close Knit” (“Karera ga Honki de Amutoki wa”, título original) foi premiado na categoria Teddy do Festival Internacional de Cinema de Berlim, uma categoria que privilegia produções com temática LGBT da programação do importante festival.

Os vencedores do prêmio Teddy foram anunciados na última sexta-feira (17) e a produção japonesa foi selecionada pelo júri para receber o prêmio especial.

Dirigido por Naoko Ogigami, “Close Knit” fala sobre uma estudante do 5º ano do ensino fundamental que foi abandonada pela mãe solteira. Então, a adolescente Tomo (interpretada por Rinka Kakihara) vai morar com o tio Makio (interpretado por Kenta Kiritani) e o parceiro transgênero dele, Rinko, que é interpretado de forma brilhante por Toma Ikuta. O filme dá enfoque à importância de respeitar diferentes valores e maneiras de viver.

Ao receber o prêmio, Ogigami reconheceu que o Japão continua sendo um país conservador, mas observou que “o ambiente em torno da população LGBT está melhorando”.

Sobre “Close Knit”, um dos jurados disse que “os espectadores podem ver laços de família e a cultura japonesa através da visão da menina Tomo”. Outro salientou que “as atuações, o diálogo natural e humor no filme tornam o trabalho magnífico”.

Para o Brasil, o filme “Pendular”, da diretora brasileira Julia Murat, ganhou o prêmio da Federação Internacional de Críticos de Cinema – FIPRESCI-, na seção Panorama do Festival de Berlim.

Confira o trailer de “Close Knit” (em japonês)

Lista dos vencedores da 67ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim:

PRÊMIOS DO JÚRI INTERNACIONAL

Urso de Ouro para Melhor Filme
Testről és Lélekről (On Body and Soul), de Ildikó Enyedi (Hungria)

Urso de Prata – Grande Prêmio do Júri
Félicité, de Alain Gomis (França, Senegal, Bélgica, Alemanha, Líbano)

Urso de Prata – Prêmio Alfred Bauer
Pokot (Spoor), de Agnieszka Holland (Polônia, Alemanha, República Checa, Suécia, Eslováquia)

Urso de Prata para Melhor Direção
Aki Kaurismäki – por Toivon Tuolla Puolen (The Other Side of Hope) – (Finlândia e Alemanha)

Urso de Prata para Melhor Atriz
Kim Minhee, em Bamui Haebyun-Eoseo Honja (On the Beach at Night Alone) – de Hong Sangsoo (Coreia do Sul)

Urso de Prata para Melhor Ator
Georg Friedrich – Helle Nächte (Bright Nights), de Thomas Arslan (Alemanha e Noruega)

Urso de Prata para Melhor Roteiro
Sebastián LelioGonzalo Maza, por Una Mujer Fantástica (A Fantastic Woman), de Sebastián Lelio (Chile, EUA, Alemanha e Espanha)

Urso de Prata por Contribuição Artística Excepcional
Dana Bunescu pela edição em Ana, Mon Amour, de Călin Peter Netzer (Romênia, Alemanha, França)

Prémio de melhor primeira obra
Estiu 1993 (Summer 1993), de Carla Simón (Espanha)

Urso de Ouro de melhor curta-metragem
Cidade Pequena, de Diogo Costa Amarante (Portugal)

Urso de Prata de melhor curta-metragem
Ensueño en la Pradera (Reverie in the Meadow), de Esteban Arrangoiz Julien (México)

PRÊMIOS ESPECIAIS
Menção especial do Júri
Centauro, de Nicolás Suaréz (Argentina)

Prêmio Teddy
Close Knit (“Karera ga Honki de Amutoki wa), de Naoko Ogigami (Japão)

PRÊMIOS DO JÚRI FIPRESCI

Competição
Testről és Lélekről (On Body and Soul), de Ildikó Enyedi (Hungria)

Panorama
Pendular, de Julia Murat (Brasil)

Fórum
Shu’our Akbar Min El Hob (A Feeling Greater Than Love), de Mary Jirmanus Saba

Comentários