Notícias Variedades

Pela 1ª vez, Japão arrecada mais de 2 trilhões de ienes com animes

Kimi no Na wa (Foto: Divulgação)

Impulsionada pelo fenômeno ‘Your Name’, a indústria japonesa de animes está em sua melhor fase no exterior.

Atualizado em 25/10/2017


Um pesquisa conduzida pela Associação Japonesa de Animação (AJA) revelou que a indústria de animes no Japão, que inclui produções feitas para TV e longas de animações, bem como serviços e produtos relacionados em todo o mundo, excederam pela primeira vez a marca de 2 trilhões de ienes (US$ 17,6 bilhões) em 2016, informou nesta terça-feira (24) a imprensa local.

Em sua 16ª edição, o levantamento anual foi conduzido junto a aproximadamente 100 produtoras de animação no país, com base em 9 segmentos da indústria da animação, que inclui bilheteria mundial de filmes, transmissão e produção para TV,  distribuição em vídeo (DVD e blu-ray), artigos relacionados às produções, como brinquedos e todo tipo de itens envolvendo os personagens, que vão desde uso de imagem em objetos, vestuários e  até em material escolar, informa a emissora estatal japonesa ‘NHK’.

De acordo com o relatório da AJA, as vendas globais atingiram o recorde de 2,9 bilhões de ienes no ano passado. É a primeira vez que ultrapassa a marca de dois trilhões de ienes desde que levantamentos do gênero passaram a ser realizados, em 2002.

O excelente resultado é atribuído ao crescimento no exterior e, segundo a agência de notícias ‘Kyodo’, as vendas de vídeos (DVD e blu-ray) e receitas de bilheteria no exterior encabeçaram a lista, somando cerca de 767,6 bilhões de ienes, seguido das vendas de produtos relacionados aos personagens das produções em questão, que totalizou 562,7 bilhões de ienes.

No relatório, a AJA mencionou a onda do “boom” das produções animadas japonesas no exterior como fator principal para o crescimento no setor que, na verdade, foi excepcionalmente impulsionado em 2016 pelo fenômeno “Kimi no Na Wa” (“Your Name”, título em inglês), que é motivo de sucesso tanto no mercado doméstico como no exterior, avalia a ‘NHK’.

Do Mundo-Nipo
Fontes: NHK World News | Kyodo News.

Comentários