Automóveis Notícias

Escassez de chips obriga Toyota a cortar produção global em 40%

©Pierre Albouy

Toyota suspenderá temporariamente a produção em várias fábricas japonesas. A produção nos EUA, Europa e Ásia serão reduzidas.

A Toyota, maior montadora do mundo em volumes de vendas, vai reduzir a produção global de setembro em 40% em relação ao plano anterior. Segundo o jornal japonês Nikkei, a decisão foi tomada devido, em grande parte, à escassez mundial de semicondutores.

Um ressurgimento de casos Covid-19 interrompeu o fornecimento e a produção de peças nas montadoras, agravando uma crise de chips alimentada por uma pandemia que não tem previsão de acabar tão cedo.

A montadora número 1 do Japão pretendia fabricar aproximadamente 900.000 automóveis durante o mês de setembro, mas esse número foi reduzido para cerca de 500.000, de acordo com a matéria do Nikkei.

Ao contrário de outras montadoras, a Toyota ainda não havia sido afetada pela escassez global de chips. Mas outros componentes estão começando a ficar escassos à medida que os países do sudeste asiático, lar da produção em cadeia de suprimentos da empresa, lutam para conter o coronavírus, forçando a Toyota a interromper as linhas de montagem no Japão e no exterior.

“A falta de chips também é um problema, mas o grande impacto vem do alastramento do coronavírus no Vietnã e na Malásia”, disse um porta-voz, segundo o Nikkei.

O corte fará com que a montadora suspenda temporariamente as linhas de produção em várias fábricas japonesas, incluindo sua unidade de Takaoka na província de Aichi, uma das maiores fábricas da montadora no Japão. O corte começará no início do próximo mês.

No total, 14 unidades de linhas de montagem no Japão serão afetadas. A produção na América do Norte, China, Europa e outras regiões será reduzida em um total de 220.000 veículos.

Contudo, a Toyota não rebaixou sua previsão de produção ou estimativas de lucros para o atual ano fiscal, que termina em março de 2022.

Com cerca de 500.000 unidades, a produção global da Toyota em setembro será a mais baixa desde maio de 2020, quando o coronavírus estava afetando as fábricas nos Estados Unidos e na Europa.

Montadoras em todo o mundo também são afetadas

Outras montadoras também sentem o impacto dos bloqueios do Sudeste Asiático, interrompendo os cronogramas de produção dos fornecedores.

A Honda cortou a produção de veículos na cidade chinesa de Guangzhou em 20.000 unidades, ou 20% de seu plano de produção no final de julho. A Nissan, por sua vez, fechou sua fábrica no estado americano do Tennessee por duas semanas devido ao impacto na aquisição de chips da Malásia.

Já a Volkswagen, General Motors e outras montadoras globais também foram forçadas a reduzir a produção desde o final do ano passado, principalmente como resultado da escassez de semicondutores.

Linhas de produção suspensas no Japão

A Toyota anunciou neste mês que estava enfrentando um ambiente de negócios imprevisível devido ao agravamento do coronavírus em países emergentes, escassez de semicondutores e preços crescentes de materiais.

As linhas de montagem em algumas fábricas da Toyota no Japão estavam suspensas desde o final de julho até o início de agosto.

== Mundo-Nipo (MN)