Economia

Premiê japonês revela plano de reduzir imposto corporativo

Abe espera que um imposto menor sobre as empresas leve à criação de empregos.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, revelou nesta sexta-feira (13) um plano para reduzir o imposto corporativo para menos de 30% a partir do próximo ano fiscal, num movimento que visa ajudar a tirar a economia de duas décadas de crescimento lento e deflação.

 

Shinzo Abe (Foto: Aflo Images)

Abe espera que um imposto menor sobre as empresas leve à criação de emprego (Foto: Aflo Images)

 

O corte é tido como uma importante questão a ser incluída no principal esboço de política econômica e fiscal do governo, que será finalizado por volta de 27 de junho junto com uma detalhada “estratégia de crescimento” de reformas estruturais, detalha a Agência Reuters.

“O imposto corporativo do Japão se transformará em um outro que promova o crescimento (econômico)”, disse Abe a repórteres, acrescentando que espera que o fardo menor sobre as empresas leve à criação de emprego e também a uma melhora para as cidadãos.

O líder da terceira maior economia do mundo disse também que o governo vai se assegurar de que fontes de receita alternativas sejam garantidas para compensar a queda na receita com o imposto, mas não quis entrar em detalhes.

Ainda nesta sexta-feira, o governo divulgou eu esboço de política econômica e fiscal, que decidirá até o final do ano sobre um plano concreto para assegurar uma “fonte de receita permanente” necessária para compensar os cortes de impostos corporativos, tais como a ampliação da base tributária.

O imposto corporativo japonês é de quase 36 por cento para grandes companhias operando em Tóquio, entre as mais altas nos países desenvolvidos.

(Com informações das agências Reuters e Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •