Economia Notícias

Exportações do Japão saltam 38%, maior alta em 11 anos

©Kyodo

Potente crescimento foi alavancado pelos fortes embarques de carros para os EUA e pelos produtos eletrônicos para a China.

As exportações do Japão em abril alavancaram alta de 38% em relação ao ano anterior, o maior aumento em mais de uma década, graças à forte demanda na China e nos Estados Unidos após a fraqueza no consumo global em reação a pandemia da Covid-19, elevando as esperanças de que uma melhora no comércio possa ajudar a levar a terceira maior economia do mundo de volta ao caminho do crescimento, mostraram dados do governo na quinta-feira, segundo a Kyodo News.

As exportações de bens no mês de relatório dispararam para 7,18 trilhões de ienes (US$ 66 bilhões), registrando o ritmo mais rápido de aumento desde o salto de 40,4% em abril de 2010, quando a economia mundial estava se recuperando da crise financeira global 2008/2009, de acordo com os dados preliminares divulgados pela o Ministério das Finanças do Japão.

Os embarques japoneses expandiram pelo segundo mês consecutivo, após um alta de 16,1% em março.

A escala da expansão é, em grande parte, reflexo da queda de 21,9% nas exportações da terceira maior economia do mundo em abril do ano passado, quando a pandemia estava prejudicando as atividades comerciais em todo o mundo e diminuindo a demanda global por itens japoneses, tais como automóveis e produtos semicondutores.

Ainda assim, o resultado mais recente de exportações foi maior do que o número pré-pandêmico de 6,66 trilhões de ienes registrado em abril de 2019.

As remessas de veículos e peças automotivas para os Estados Unidos e equipamentos de produção de semicondutores para a China aumentaram notavelmente no mês do relatório.

As importações aumentaram 12,8% em abril, para 6,93 trilhões de ienes, alta pelo terceiro mês consecutivo, impulsionadas pelos altos preços do petróleo bruto. O crescimento seguiu um aumento revisado de 5,8% no mês anterior.

Como resultado, a balança comercial registrou superávit de 255,32 bilhões de ienes, marcando o terceiro mês consecutivo de saldo positivo.

Exportação por países e regiões

Por país, as exportações para a China cresceram 33,9% em relação ao ano anterior, para 1,58 trilhão de ienes, o segundo nível mais alto desde que dados comparáveis ​​foram disponibilizados em janeiro de 1979, após um recorde de 1,63 trilhão de ienes em março deste ano.

Além dos embarques de equipamentos de fabricação de chips em meio à escassez global de semicondutores, os de carros híbridos e matérias-primas, como sucata de cobre, contribuíram para o crescimento das exportações endereçadas à China, maior parceiro comercial do Japão.

Já as importações da China aumentaram 0,7%, com uma diminuição na aquisição produtos têxteis totalmente compensada por aumentos em celulares e metais não ferrosos. O saldo das importações ficou em déficit de 165,99 bilhões de ienes para o Japão.

As exportações para a Ásia, incluindo a China, atingiram o segundo nível mais alto, de 4,16 trilhões de ienes, alta de 32,7%. As importações cresceram 10,2%, com o Japão registrando um superávit comercial de 674,06 bilhões de ienes.

Por sua vez, os embarques para os Estados Unidos saltaram 45,1%, alta pelo segundo mês consecutivo, com a demanda de automóveis mais do que dobrando. As importações aumentaram 5,8%, resultando em um superávit para o Japão de 537,72 bilhões de ienes.

“Além da China, o ritmo de recuperação econômica nos Estados Unidos tem ficado mais forte graças à sua promoção constante de vacinação e programa de estímulo em grande escala, e isso tornou as condições que cercam as exportações do Japão melhores”, disse Takeshi Minami, economista-chefe da o Instituto de Pesquisa Norinchukin.

Recuperação econômica

A sólida recuperação das exportações tem apoiado a economia do Japão, que agora sofre com a redução do consumo devido ao terceiro estado de emergência do governo declarado no final de abril, em meio à disseminação de variantes mais contagiosas de Covid-19.

Minami disse que a dependência do Japão das exportações para a recuperação econômica deve continuar devido a lentidão da vacinação no país. Enquanto isso, ele observou o risco de que a escassez global de semicondutores, peças necessárias para as montadoras, possa suprimir as exportações de automóveis.

*Veja a tabela completa na página de relatórios do site do Ministério das Finanças do Japão.

== Mundo-Nipo (MN)

Atualizado em 25/05/2021.