Notícias

Desemprego no Japão continua no nível mais baixo desde 1993

©Asahi Photos

A oferta de emprego no mercado japonês segue como a mais alta já registrada desde 1973.

Atualizado em 04/06/2018


O índice de desemprego no Japão ficou inalterado em abril em relação ao mês anterior, seguindo em seu nível mais baixo desde 1993, informou o governo japonês no final de maio, sinalizando que o mercado de trabalho no país continua apertado por conta da grande oferta de emprego em meio a crescente escassez de mão de obra gerada, sobretudo, pelo rápido envelhecimento populacional.

De acordo com o relatório do Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações, a taxa de desemprego no país fixou-se em 2,5%, mesmo percentual registrado em março.

A taxa de desemprego no Japão vinha situando entre 2,7% e 2,8% desde junho de 2017, após ter caído de forma regular nos meses precedentes e despencar  após despencar para 2,4% em janeiro, menor percentual desde abril de 1993.

Em uma base ajustada sazonalmente, o número de desempregados caiu 0,6%, o que representa retração de 10.000 ante março, totalizando 1,72 milhão de pessoas sem trabalho no país em abril.

A pasta sublinhou que a situação empregatícia no país está “melhorando de maneira firme”, e que a “taxa de emprego para pessoas com idades entre 15 e 64 anos atingiu máxima recorde”.

Dados separados do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão mostraram que a relação entre oferta de emprego e candidato também se manteve inalterada em relação a março, situando-se em 1,59 em abril. Isso quer dizer que havia no país 159 vagas de empregos disponíveis para cada 100 pessoas em busca de trabalho no quarto mês de 2018.

O número segue como o mais alto já registrado no país desde de 1973, quando atingiu máxima histórica de 1,76.

Do Mundo-Nipo
Fonte: agência Kyodo.