Notícias

Alerta equivocado de terremoto de 9,1 graus gera pânico no Japão

Foto: Stockvault

A Agência Meteorológica do Japão emitiu por engano o alerta do “megaterremoto”, cujo epicentro seria na Baía de Tóquio.

A Agência Meteorológica do Japão (JMA, na sigla em inglês) emitiu por engano um alerta de terremoto com magnitude 9,1 na escala de Richter que estaria prestes a atingir a cidade de Tóquio nesta segunda-feira (1). O alerta equivocado gerou pânico na capital japonesa, em vista de que o grau de intensidade era semelhante ao que devastou o nordeste do país em 2011, informou a imprensa local e internacional.

Segundo a agência de notícias AFP, o alerta foi passado automaticamente para os serviços privados de previsão do tempo e serviços de aplicativos que notificam eminência de desastres naturais, como erupções vulcânicas e terremotos, e rapidamente foram repassados aos usuários do aplicativo denominado Yurekuru.

Mediante a esse aplicativo, muitos japoneses receberam o aviso de que um potentíssimo terremoto atingiria a região metropolitana de Tóquio, com epicentro na baía de Tóquio, por volta das 17h locais desta segunda-feira, 5h no horário de Brasília.

Percebendo o erro, a JMA lançou imediatamente uma nova mensagem retirando o alerta, mas foi tarde demais porque o alerta já havia sido repassado para todos os utilizadores do Yurekuru e de outros aplicativos semelhantes, de acordo com a agência de notícias ‘Kyodo’.

Como resultado, a população da região metropolitana de Tóquio, bem como de outras províncias no leste do país, ficou em pânico diante do eminente mega terremoto. “Quando vi o aviso me preparei para morrer”, escreveu um japonês no Twitter.

O aplicativo Yurekuru é muito popular no Japão, país com intensa atividade sísmica e pelo menos cinco milhões de pessoas o têm instado nos smartphones, explica a ‘AFP’.

De acordo com a emissora pública ‘NHK’, o alerta equivocado também chegou às operadoras de transportes públicos e algumas linhas de metrô e de trem-bala na capital japonesa foram interrompidas por breves minutos, até tomarem conhecimento de que o alerta tratava-se de um “equívoco” da JMA.

Trata-se do primeiro grande erro cometido pela Agência Meteorológica Japonesa, órgão que é considerado umas das grandes cinco agências meteorológicas do planeta.