Notícias

Prefeitura manda cortar cerejeiras doadas à Curitiba pelo imperador do Japão

Segundo denúncias, o atual prefeito de Curitiba mandou cortar três grandes árvores de cerejeiras que foram doadas pelo Imperador Akihito.

O ex-prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), denunciou nas redes sociais o corte de três árvores de cerejeira em pontos distintos no centro da capital do Paraná. As denúncias foram publicadas no Facebook, na página pessoal do ex-prefeito. Segundo ele, as árvores cortadas faziam parte das 300 mudas que o imperador do Japão doou à Curitiba, em 1995, quando Greca era prefeito.

A primeira denúncia ocorreu no último final de semana, na qual afirma que o atual prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), mandou cortar uma grande árvore de cerejeira localizada em frente de uma agência do banco Itaú, no centro da capital. “Era uma cerejeira. A muda foi presente pedido por mim ao Imperador do Japão à nossa então capital ecológica. Esta semana Fruet cortou. O que é melhor para Curitiba? Você decide!”, diz Greca na rede social.

A postagem de Greca alcançou milhares de visualizações, compartilhamentos e comentários. Depois disso, o ex-prefeito denunciou que mais duas cerejeiras haviam sido cortadas.

“Pela azáfama da Prefeitura, hoje na XV [Rua XV, no centro de Curitiba] não foi só uma cerejeira abatida. FORAM TRÊS! Defronte ao Itaú – palácio Manoel de Macedo -, defronte a Confeitaria das Famílias, defronte ao antigo Louvre. Hoje não ficou nenhum toco. Até no aeroporto de Brasília recebi solidariedade pela denúncia. Arrancaram os tocos para que não se produzisse contraprova do ato maligno ou descontrolado”, afirma Greca em uma das postagens no Facebook.

Segundo uma publicação do jornalista Fábio Campana, o flagrante de mais uma árvore cortada mexeu com o humor da primeira-dama Márcia Fruet, presidente da FAS (Fundação de Ação Social da Prefeitura Municipal de Curitiba), que partiu em retaliação ao ex-prefeito.

“Atenção!!! O candidato mente, engana e cria fatos para o eleitor já na pré-campanha!!! Eleitor não é bobo!!!”, declarou Marcia Fruet. Outra postagem com o mesmo tom de tréplica partiu do perfil de Denise Toniolo, chefe de gabinete de Eleonoira Fruet, irmã do prefeito e secretária da Fazenda, conforme noticiou o jornalista em seu Blog.

As denúncias e réplicas sobre os cortes das árvores, no entanto, têm um tom de campanha eleitoral. “A eleição também já ganhou contornos de plebiscito. Parece que tudo vai virar um sim ou um não à administração do atual prefeito Gustavo Fruet”, adianta um comentário em uma das publicações de Greca no Facebook.

A Prefeitura de Curitiba explicou em seu site oficial que a árvore em frente ao Itaú foi cortada após técnicos avaliarem que seu tronco estava seco, “representando risco” – a foto de uma árvore seca foi adicionada à publicação.

Entretanto, Greca postou fotos que mostram o toco da árvore cortada em frente à agência Itaú, próxima ao Palácio Manoel de Macedo. Ele também publicou fotos da árvore antes de ser cortada, na qual ela aparece frondosa, cheia de vida.

“Prefeitura covarde, cortaram a árvore em frente ao Itaú e justificaram o corte usando foto de outra cerejeira”, diz Greca em uma das publicações, acrescentando que a foto exibida no site da prefeitura “trata-se de uma árvore velha localizada em frente a uma loja do Grupo Renner”.

O prefeito Gustavo Fruet ainda não se manifestou oficialmente sobre as denúncias de Greca. Contudo, a despeito de politicagem em vista de promoção em campanhas eleitorais, o fato é que o corte das preciosas árvores deve ser apurado e esclarecido, não só por se tratar de um suposto “crime contra a natureza”, mas também pela falta de “respeito” com “algo” que foi doado por nada menos do que um imperador, ou seja, o Imperador Akihito e sua esposa, a Imperatriz Michiko, do Japão.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta