Notícias

Busca por menino largado em floresta no Japão ganha reforço do Exército

Internautas “revoltados” sugerem que os pais podem estar mentindo, já que o relato inicial do desaparecimento da criança foi mudado por eles…

Os trabalhos de busca por uma criança de sete anos desaparecida desde o último sábado em uma floresta no norte do Japão, após ser deixada no local como castigo por seus pais, ganhou o reforço do Exército Japonês, que uniu-se à equipe de resgate na quarta-feira (1).

As Forças de Autodefesa japonesas enviaram mais de 70 soldados para colaborar com os 130 policiais e bombeiros já desdobrados na área para encontrar o menor, cujo paradeiro é totalmente desconhecido, informou a emissora pública “NHK”.

De acordo com a agência de notícias “EFE”, as autoridades japonesas rastrearam com cachorros e cavalos um perímetro de 15 quilômetros desde o ponto no qual o pequeno foi visto pela última vez e não encontraram até agora pistas ou pertences da criança.

Contudo, a busca pela criança foi suspensa na terça-feira em torno das 16h local (6h, em Brasília) devido às fortes chuvas registradas na zona, onde a temperatura alcança os sete graus centígrados e que é habitada por ursos selvagens.

Além disso, um helicóptero não pôde participar das tarefas durante todo o dia por causa do mau tempo, informou a agência japonesa “Kyodo”.

“À parte da chuva, a criança não levava comida. Queremos encontrá-la o mais rápido possível”, explicou à “Kyodo” um dos participantes desta busca que luta contra o tempo.

A polícia está interrogando de novo os pais de Yamato Tanooka, que no momento de seu desaparecimento não levava água e nem comida.

Segundo seu relato, eles o obrigaram a descer do veículo no qual a família viajava por mau comportamento, deixando-o só em uma estrada aos pés do monte Komagatake, na ilha japonesa de Hokkaido (norte).

Embora o pequeno tenha corrido atrás do veículo, seus familiares asseguraram às autoridades que o perderam de vista e que voltaram minutos depois ao local no qual tinham deixado a criança, onde já não estava.

Os progenitores, que esperaram duas horas desde o desaparecimento de Yamato até alertar as autoridades, denunciaram os fatos no sábado à tarde e, em um primeiro momento, mantiveram a versão de que havia se perdido enquanto recolhiam vegetais na floresta.

Posteriormente, mudaram a versão do primeiro relato, afirmando ter deixado o menor na estrada próxima a floresta, um ato que alegam ter sido como forma de castigo por mau comportamento, já que a criança tinha lançando pedras em outros carros e transeuntes durante o dia que a família passou no campo.

Internautas revoltados com a atitude dos pais
Internautas revoltados com a conduta dos pais cogitam em redes sociais que o desaparecimento da criança pode ter ocorrido de “outra forma”, em vista de que as buscas, até o momento, percorrem uma extensa área e não há sinais de nenhum objeto ou rastro da criança, “o que poderia ter sido detectado por caçadores da região que se juntaram, desde o domingo passado, à equipe de buscas”, afirmam eles, conforme noticiou o jornal ‘The Asahi Shimbun’ nesta quinta-feira (2).

“Alguns usuários de redes sociais sugerem que os pais podem estar mentindo, já que o relato inicial sobre o desaparecimento da criança foi mudado por eles posteriormente”, destacou o jornal japonês.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.