Notícias

Francês parte do Japão à nado rumo aos EUA

Benoît Lecomte já cruzou o Oceano Atlântico em 1998 | Foto: Arquivo / thelongestswim.com

A partir de uma praia no leste Japão, o nadador iniciou sua travessia do Pacífico em direção a São Francisco.

O nadador francês Benoît Lecomte, de 51 anos, iniciou nesta terça-feira (5) uma incrível travessia à nado partindo de uma praia no Japão com destino aos Estados Unidos, uma aventura que ele estima concluir, no máximo, em oito meses cruzando o Oceano Pacífico até chegar em São Francisco.

A aventura tem como meta chamar a atenção do mundo para a poluição dos oceanos. No caminho, Lecomte irá cruzar a “Grande Mancha de Lixo do Pacífico”, uma área com três vezes o tamanho da França continental.

Serão cerca de 9 mil quilômetros, enfrentando tempestades, tubarões, águas-vivas e plástico. Muito plástico. Segundo estudo recente divulgado pela pela ONG The Ocean Cleanup Foundation, a “Grande Mancha de Lixo do Pacífico” possui cerca de 1,8 trilhão de detritos, de restos de grandes redes de pesca ao chamado microplástico, partículas com menos de 5 milímetros de diâmetro.

Mapa do percurso que Lecomte vai nadar desde o Japão até os EUA | Foto: Divulgação

Mapa do percurso que Lecomte vai nadar desde o Japão até os EUA | Foto: Divulgação

A aventura serve como realização pessoal para Lecomte, mas também para a coleta de dados científicos. Durante a viagem, a equipe de apoio irá coletar resíduos plásticos e capturar peixes e outros animais para analisar o impacto da contaminação nos seres vivos.

Lecomte iniciou a viagem por vota das 9h desta terça-feira, pelo horário local, saindo de uma praia de Choshi, no leste do Japão, usando um traje de neoprene e pés de pato. Sua filha, de 17 anos, e seu filho, de 11, o acompanharam pelos primeiros metros antes de regressarem à costa. Um veleiro com oito tripulantes acompanha a jornada, carregado com 2,8 toneladas de comida, além de uma lancha elétrica.

O plano é nadar oito horas por dia, percorrendo cerca de 50 quilômetros. O veleiro servirá de base para que Lecomte descanse e se alimente para recuperar as energias. A estimativa é que o exercício queime 8 mil calorias diárias. Não é a primeira vez que o nadador francês realiza uma grande travessia. Em 1998 ele cruzou o Oceano Atlântico.

Fontes: Agência AFP | Jornal O Globo.