Notícias

Gastos das famílias no Japão crescem pelo 7º mês seguido

Reprodução / Bloomberg

Os consumidores no Japão permanecem resilientes apesar da 6ª queda mensal consecutiva nos salários reais e do programado aumento de imposto.

Atualizado em 09/08/2019

As despesa dos lares no Japão aumentaram pelo sétimo mês consecutivo em junho, sugerindo que uma melhora nos gastos do consumidor poderia ajudar a conter os efeitos da fraca demanda global, mas as quedas nos salários reais obscurecem as perspectivas para o consumo doméstico em geral.

O Banco do Japão (BoJ, o banco central japonês) está esperançoso de que uma recuperação do consumo privado ajude a atingir sua meta de inflação de 2%, mesmo com a intensificação da guerra comercial entre os Estados Unidos e China, além das tensões com a Coreia do Sul prejudicando as exportações e o sentimento empresarial.

Os gastos das famílias em junho subiram 2,7% em relação ao ano anterior, quase o dobro da previsão média de 1,4% de avanço, de acordo com o levantamento de estatística do Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações do Japão divulgado ontem.

Em maio, os gastos subiram no ritmo mais rápido em quatro anos, em um sinal de que a melhora da demanda interna oferecerá algum apoio para uma economia que enfrenta crescente pressão externa.

Contudo, dados separados mostraram que os salários reais no Japão ajustados pela inflação caíram pelo sexto mês consecutivo em junho, o que poderia prejudicar o consumo doméstico antes do aumento planejado de impostos sobre vendas em outubro.

O Japão planeja aumentar o imposto sobre vendas de 8% para 10% em outubro.

Alguns formuladores de políticas temem que o aumento do imposto prejudicará ainda mais o sentimento do consumidor e prejudicará uma economia já pressionada pela guerra comercial EUA-China e pela desaceleração da demanda global.

O Banco do Japão suspendeu os estímulos em expansão na semana passada, mas se comprometeu a fazê-lo “sem hesitação” se a desaceleração global colocar em risco a recuperação econômica do país.

A valorização recente do iene e as quedas nos preços das ações poderiam alimentar a especulação para mais flexibilização monetária dos bancos centrais.

A previsão é de que o crescimento econômico do Japão desacelere no trimestre de abril a junho, uma vez que a demanda global e as tensões comerciais pesaram sobre as exportações, mas a forte demanda interna compensou parte da pressão externa, mostrou uma pesquisa da agência ‘Reuters’.

O governo japonês anunciará os dados do Produto Interno Bruto (PIB) nesta sexta-feira.

MN – Mundo-Nipo.com
Fontes: Statistics Bureau of Japan | Agência Reuters.

*A tabela com os dados completos dos gastos das famílias pode ser conferida no site do Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações do Japão (em inglês).