Notícias

Japão contabiliza 35 mortos após passagem do tufão Hagibis

Nagano | Foto: Reprodução/Kyodo

Até o momento, 35 pessoas morreram, 17 estão desaparecidas e mais de 100 ficaram feridas, enquanto milhares de pessoas continuam ilhadas.

O Japão intensificou os esforços de resgate aos sobreviventes de um super tufão que provocou uma quantidade recorde de chuvas, inundando grandes áreas de distritos residenciais e deixando pelo menos 35 mortos e quase 20 outros desaparecidos.

Um dia após o devastador tufão Hagibis atingir Tóquio e outras áreas nas regiões central, leste e nordeste do arquipélago japonês, 17 pessoas ainda estão desaparecidas, de acordo com um registro da Kyodo News baseado em informações fornecidas por equipes de resgate e outras autoridades locais.

Cerca de 27.000 membros das Forças de Autodefesa foram enviados para essas regiões, incluindo principalmente em Nagano, onde tentaram resgatar cerca de 360 ​​pessoas que ficaram ilhadas após a queda de uma barragem do rio Chikuma, o que levou o Ministério da Terra alertar sobre a possibilidade de enchentes com até 5 metros de profundidade.

Inundações

O pátio de uma das operações do serviço Shinkansen (trem-bala) da companhia East Japan Railway, perto da Estação de Nagano, ficou alagado e inundou 10 fileiras de trens de alta-velocidade.

Trens-bala ficaram inundados em uma estação em Nagano | Foto: Reprodução/Kyodo

Também em Nagano, equipes de resgate usaram helicópteros e barcos para salvar moradores que ficaram ilhados em suas casas inundas, com muitos pediram foram obrigados a subir nos telhados para esperar o resgate.

Um distrito inteiro ficou inundado em Nagano | Foto: Reprodução/Kyodo

Em Iwaki, na província de Fukushima (nordeste), uma idosa de 77 anos morreu durante o salvamento. Ela caiu de uma altura de aproximadamente 40 metro enquanto os socorristas do Corpo de Bombeiros de Tóquio tentando salvá-la a partir de um helicóptero. Segundo a Kyodo News, o cabo que prendia o cinto que a erguia se desprendeu.

Às 16h locais deste domingo (4h horas pelo horário de Brasília), aterros de 21 rios no Japão haviam desabado, de acordo com o Ministério de Infraestrutura.

“De repente, a água surgiu de baixo do chão”, disse Shogo Kasama, 72 anos, que teve sua casa em Marumori, na província de Miyagi, inundada por até dois metros.

“Eu não conseguia dormir”, disse Kasama, acrescentando que a mãe acamada, de 92 anos, conseguiu se manter viva enquanto a cama flutuava na enchente dentro da própria casa.

“A inundação bloqueou as estradas e eu não pude levá-la ao hospital”, disse.

Muitas áreas no Japão foram inundadas por chuvas recordes. Em Hakone, a cerca de 80 quilômetros ao sudoeste de Tóquio, 922,5 milímetros de chuva caíram no sábado, o maior volume já registrado no Japão em 24 horas.

Reunião de emergência

O governo realizou uma reunião de emergência em sua principal sede de gestão de desastres, durante a qual o primeiro-ministro Shinzo Abe disse: “A vida das pessoas deve vir antes de tudo. Devem ser feitos os maiores esforços para resgatar pessoas de casas inundadas e procurar por desdapareidos”.

“Mais de 110.000 policiais, bombeiros, oficiais da guarda costeira e membros da SDF estão atualmente envolvidos em operações de resgate”, disse Abe.

“Peço ao povo do Japão que permaneça vigilante contra deslizamentos de terra e inundações de rios”, disse.

Milhares são deslocados em Honshu

Mais de 6 milhões de pessoas na ilha principal de Honshu, no Japão, foram deslocadas, com as operadoras de trens suspendendo a maioria dos serviços e aeroportos fechados nas áreas metropolitanas e adjacentes entre a tarde de sábado e domingo.

Embora os avisos de evacuação tenham sido levantados no início deste domingo em Tóquio, bem como na maior parte do centro e leste do Japão, o Ministério da Infraestrutura disse que pelo menos 56 deslizamentos de terra e fluxos de lama barrenta foram relatados em 15 prefeituras.

Sem energia elétrica e água potável

O secretário-chefe do gabinete e porta-vos do governo, Yoshihide Suga, disse em uma entrevista coletiva na manhã seguinte que 376 mil casas estavam sem eletricidade e 14 mil não tinham água potável depois de o tufão Hagibis, que significa “rápido” nas Filipinas, atingiu a ilha de Honshu antes das 19h locais de sábado.

Cancelamento de eventos

Entre os principais eventos programados para domingo, a partida da Copa do Mundo de Rugby entre Namíbia e Canadá, em Kamaishi, nordeste do Japão, foi cancelada para garantir a segurança dos jogadores e torcedores.

O tufão, que também feriu pelo menos 100 pessoas, enfraqueceu para um ciclone extratropical na costa nordeste do Japão no domingo à tarde (hora local).

Retomada dos serviços de transportes

A maioria dos serviços de trem retomou as operações após suspensões em larga escala, enquanto as companhias aéreas Japan Airlines e All Nippon Airways informaram que a maioria de seus voos deve retomar a normalidade na segunda-feira.

Agência emite alerta 5, o mais alto para um tufão

A Agência Meteorológica do Japão (JMA), que classificou o tufão Hagibis um dos mais devastadores a atingir o Japão, emitiu o maior alerta de chuva em sua escala de um a cinco para Tóquio e as prefeituras de Gunma, Saitama, Kanagawa, Yamanashi, Nagano, Shizuoka, Niigata, Fukushima, Tochigi, Ibaraki, Miyagi e Iwate.

Como medida de prevenção, algumas barragens liberaram água para evitar o transbordamento.

Residências destruídas e vítimas

Um tornado gerado a partir dos fortes ventos do violento Hagibis, atingiu partes de Ichihara, na província de Chiba, no sábado, e danificou mais de 80 residências, sendo que 12 delas foram totalmente destruídas.

Dezenas de residências danificadas em Chiba | Foto: Reprodução/Kyodo

Autoridades locais disseram que um homem com aproximadamente 50 anos foi encontrado morto dentro de um carro capotado.

Na prefeitura de Gunma, quatro pessoas morreram depois que as casas foram varridas por um deslizamento de terra, informou a polícia. Em Kawasaki, sudoeste de Tóquio, um homem de 60 anos foi encontrado em um apartamento inundado e confirmado morto em um hospital.

Mortes no mar

De acordo com oficiais da guarda costeira, um cargueiro panamenho com 12 tripulantes afundou na baía de Tóquio na noite de sábado, onde havia ventos potentes e chuvas torrenciais.

Quatro tripulantes do navio de 1.925 toneladas, Jia De, foram resgatados na manhã de domingo, mas cinco deles foram confirmados mortos em um hospital local. Os outros três continuam desaparecidos.

*Veja os estragos provocados pelo tufão na galeria de fotos das galeria de fotosd da Kyodo.

MN – Mundo-Nipo.com
Com  Kyodo New.