Notícias

Casa Imperial nega que imperador do Japão tem intenções de abdicar

Em coletiva de imprensa, um representante da Agência da Casa Imperial do Japão afirmou que Akihito não tem intenções de abdicar.

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (14), um representante da Agência da Casa Imperial do Japão, Shinichiro Yamamoto, afirmou que a o rumor espalhado ontem pela mídia japonesa sobre uma possível abdicação do imperador Akihito “não é verdade”, informou a emissora pública ‘NHK’.

Citando como fonte pessoas próximas à família imperial, a ‘NHK’ noticiou na quarta-feira (13) que o imperador, de 82 anos, pretendia abdicar do “Trono do Crisântemo”, intenção que teria comunicado à esposa, a imperatriz Michiko, e aos dois filhos, principalmente ao príncipe herdeiro do Japão, Naruhito. A ‘NHK’ afirmou ainda, de acordo com as fontes, que a intenção de Akihito em abdicar teria como motivo principal a saúde debilitada do monarca.

Informação que também foi noticiada pela ‘Kyodo’, principal agência de notícias do país e uma das maiores da Ásia.

A Constituição Meiji, que marcou o nascimento do Japão moderno, bem como as leis originais que regem a Casa Imperial, que entrou em vigor na mesma época, veta a possibilidade de abdicação. Mediante a isso, seria necessária uma revisão, com tramites julgados ainda pela Parlamento Japonês, para satisfazer a suposta vontade do imperador.

Se Akihito abdicasse, seria a primeira vez que tal ato ocorreria na linha de sucessão da Família Imperial do Japão desde o imperador Kokaku, que abdicou em 1817.

Devido ao caráter sensível do assunto, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, se recusou a comentar sobre a questão, assim como o porta-voz do Executivo, Yoshihide Suga.

Akihito, que nos últimos anos passou por uma série de enfermidades, com uma cirurgia cardíaca e tratamento para câncer de próstata, chegou ao trono aos 55 anos, em 7 de janeiro de 1989, após a morte do pai, o imperador Hirohito, que teve o mais longo governo entre todos os imperadores, de 1926 a 1989.

Contudo, alguns dos principais jornais japoneses, como o ‘The Asahi Shimbun‘, alerta que Akihito, um imperador com ideais inovadores,  já manifestou interesse de uma revisão na Lei da Casa Imperial, que inclui mudar o estatuto que veta a ascensão do sexo feminino ao trono, abrindo assim as postas para a princesa Aiko, filha única do príncipe herdeiro Naruhito, e que por direito seria a terceira na linha de sucessão ao trono japonês.

Fontes: NHK News jp| Notícias ao Minuto pt.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.