Notícias

FMI mantém previsões de crescimento global em 3,9%

Fundo Monetário Internacional / FMI | Foto: Creative Commons

O Fundo Monetário Internacional também manteve suas previsões para Japão e China.

Em seu mais recente relatório Perspectiva Econômica Mundial, o Fundo Monetário Internacional (FMI) manteve suas previsões de crescimento global para 2018 e 2019 em 3,9% para ambos os anos, após revisões para cima em janeiro.

O crescimento global manterá um ritmo estável este ano e no próximo impulsionado pelo fortalecimento do comércio e pelo estímulo fiscal norte-americano que perderá força no início dos anos 2020, enquanto o aumento das tarifas poderá prejudicar a confiança do mercado e a produção, destacou o FMI nesta terça-feira.

As projeções foram divulgadas no momento em que autoridades financeiras globais se reúnem em Washington para as reuniões do FMI e do Banco Mundial nesta semana.

O FMI disse que elevou sua previsão de crescimento em 0,2 ponto percentual para os dois anos, a 2,9 por cento em 2018 e 2,7 por cento para 2019. Segundo o fundo, taxas mais baixas de imposto corporativo nos EUA e investimentos acelerados devido a uma isenção tributária temporária impulsionarão o crescimento dos EUA até 2020, mas esses efeitos se reverterão rapidamente, causando uma desaceleração.

“O crescimento global deverá se enfraquecer após os próximos dois anos”, disse o FMI no relatório, acrescentando que as economias avançadas serão “retidas pelo envelhecimento das populações e pela baixa produtividade”.

Por enquanto, o FMI disse que o aumento na demanda por exportações está contribuindo para uma ligeira melhora nas previsões de crescimento para a zona do euro e Reino Unido para 2018, ao mesmo tempo em que manteve suas previsões para o Japão, China, Índia, Rússia e México.

As projeções foram ligeiramente reduzidas para o Canadá, o Oriente Médio e os países do norte da África, bem como para alguns países em desenvolvimento de baixa renda.

O FMI disse que as perspectivas de economias em desenvolvimento para aumentar a renda per capita enfrentam perspectivas difíceis nos próximos cinco anos, especialmente em países exportadores de commodities no Oriente Médio, África subSaariana, América Latina e Caribe.

Os riscos para as previsões de crescimento global estão amplamente equilibrados para os próximos trimestres, com potencial de lucros empresariais mais fortes para aumentar as contratações e investimentos que poderiam impulsionar a produtividade, disse o FMI.

Mas as tensões comerciais, como os recentes anúncios tarifários entre Estados Unidos e China, podem afetar diretamente o comércio e a atividade econômica, além de causar turbulência nos mercados financeiros, o que apertaria as condições financeiras e prejudicaria a confiança.

“Um aumento nas barreiras comerciais tarifárias e não-tarifárias pode prejudicar o sentimento do mercado, interromper as cadeias de fornecimento globais e retardar a disseminação de novas tecnologias, reduzindo a produtividade global e o investimento”, disse o FMI. “Um maior protecionismo também reduzirá o bem-estar dos consumidores, tornando os bens de consumo mais caros”.

Com Agência Reuters