Notícias

Exportações do Japão têm a pior queda em 3 anos

Porto de Tóquio | Foto: Media Commons

As exportações japonesas despencaram quase 10% no mês passado, o maior declínio anualizado desde o registrado em novembro de 2016.

As exportações do Japão em outubro caíram em um ritmo mais rápido em três anos, ameaçando levar a economia dependente do comércio à recessão, à medida que o enfraquecimento da demanda dos Estados Unidos e da China escureceu as perspectivas tanto para a economia japonesa como global.

Dados do Ministério das Finanças divulgados ontem mostraram que as exportações do Japão caíram 9,2% em relação ao ano passado, um declínio maior do que a queda de 7,6% esperada pelos economistas em uma pesquisa da Agência Reuters.

O fraco resultado é devido, em grande parte, ao forte descenso nos embarques de automóveis e motores de aeronaves para os EUA, bem como materiais plásticos para a China.

Trata-se do maior declínio das exportações japonesas no período de 14 meses, de outubro de 2015 a novembro de 2016.

Em termos de volume, as exportações japonesas caíram 4,4% de janeiro a outubro, marcando o terceiro mês consecutivo de queda.

Os dados foram obtidos após uma leitura preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) do Japão na semana passada, na qual mostrou que a economia japonesa registrou o pior crescimento em um ano no terceiro trimestre devido à baixa demanda.

Os legisladores pediram ao governo que aumente os gastos em até 10 trilhões de ienes (US$ 125,6 bilhões) no atual ano fiscal para apoiar a economia, visto que muitos temem estar enfrentando pressão adicional de um aumento nos impostos sobre vendas que entrou em vigor no início do mês passado.

O governo disse que planeja compilar um pacote de estímulo o mais rápido possível, como medida preventiva contra o aumento de riscos no exterior.

Embarques por regiões

As exportações japonesas para a China, o maior parceiro comercial do Japão, caíram pelo oitavo mês consecutivo, registrando queda de 10,3% em outubro na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo os dados do governo, afirmando que o forte descenso é devido aos fracos embarques de plásticos e peças de automóveis.

As vendas para a Ásia, que representam mais da metade das exportações totais do Japão, caíram 11,2% no ano até o mês passado, caindo pelo 12º mês seguido.

Já os embarques do Japão para os EUA sofreram declínio de 11,4% no ano até o mês passado, afetados pela queda na venda de motores de aeronaves e peças de automóveis.

A Câmara dos Deputados do Japão aprovou na terça-feira um acordo comercial limitado que o primeiro-ministro, Shinzo Abe, concordou com os EUA, abrindo caminho para cortes de tarifas no próximo ano em itens como produtos agrícolas dos EUA e maquinários japoneses.

Por sua vez, as importações globais do país em outubro caíram 14,8% em termos anualizados, um declínio menor do que a estimativa mediana de recuo de 16%.

A balança comercial atingiu um superávit de 17,3 bilhões de ienes, contra um superávit de 301 bilhões de ienes observado pelos economistas.

Da Agência Reuters / Tradução e Edição Mundo-Nipo.com (MN).

👉 Notícia atualizada em 22/11/2019.