Notícias

Mori Building construirá arranha-céu mais alto do Japão

Foto: Mori Building

Edifício terá 330 metros de altura e será construído em Tóquio. Obras cotam com orçamento de US$ 5,64 bilhões e serão concluídas em 2023.

A companhia Mori Building, uma das maiores imobiliárias do Japão, apresentou o projeto de um novo arranha-céu de 330 metros de altura que será construído em Tóquio, que se transformará no edifício mais alto do país e deverá ficar pronto em 2023.

O arranha-céu, revestido de vidro e aço, terá tanto apartamentos residenciais, como salas de escritórios, e será construído no distrito de Toranomon-Azabudai, de acordo com os detalhes do projeto apresentado em coletiva imprensa pela Mori Building nesta quinta-feira (22).

O edifício superará assim o atual arranha-céu mais alto do país, Abeno Harukas, que possui 300 metros de altura e foi construído na cidade de Osaka, no oeste de Japão.

O projeto, que conta com um orçamento de 600 bilhões de ienes (US$ 5,64 bilhões), é um dos mais ambiciosos criados até agora pela Mori Building, que conta com vários edifícios altos na capital japonesa.

O arranha-céu fará parte de um novo complexo que terá uma área total de 8,1 hectares e que também incluirá um hotel e um colégio internacional.

“No contexto atual de crescente concorrência entre cidades, necessitamos oferecer mais alojamentos e escritórios com padrões internacionais em Tóquio”, disse o presidente da companhia construtora, Shingo Tsuji.

Mori Building Co.

A Mori Building Company foi fundada  em 1959 por Taikichiro Mori, que inicialmente era professor de economia e largou a profissão de formação para se dedicar ao ramo imobiliário.

A habilidade de Mori no trato com imóveis levou sua companhia ao topo no setor imobiliário e, consequentemente, da construção civil no Japão, principalmente em Tóquio, onde o professor de economia construiu os maiores arranha-céus da capital japonesa.

Cerca de 30 décadas depois de fundar a Building, Taikichiro Mori passou a figurar entre os homens mais ricos do mundo.

Em 1992, o patrimônio líquido de Mori atingiu incríveis US$ 13 bilhões, ano em que a revista Forbes o apontou como o homem mais rico do mundo, à frente de Bill Gates, que ficou em segundo.

No ano seguinte, Taikichiro Mori morreu de insuficiência cardíaca, mais precisamente em 30 de janeiro de 1993, aos 88 anos de idade.

MN – Mundo-Nipo.com
Fontes: Agência EFE | Mori Building.