Notícias

Um em cada quatro japoneses já considerou cometer suicídio

Foto: Stockvault

Apesar de ter caído em 2016, a taxa de suicídio no Japão segue entre as mais altas do mundo.

Uma pesquisa feita pela pelo governo japonês revelou que um em cada quatro japoneses adultos já considerou cometer suicídio, um resultado que só confirma a alta taxa de suicídios no país, mesmo com dados mostrando que o número caiu em 2016, mas ainda assim segue alto em relação aos países desenvolvidos.

Realizada a cada quatro anos, a pesquisa do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar Social do Japão abrangeu todo o país e entrevistou 3.000 homens e mulheres com idade a partir de 20 anos.

O estudo, que está em sua terceira edição, foi realizado em outubro do ano passado e divulgado na última terça-feira (21).

A pesquisa mostra que 23,6% dos entrevistados afirmaram já ter considerado, de fato, tirar a própria vida em um momento ou outro. O número é mais elevado do que os apurados nas duas pesquisas anteriores.

Por idade, a maior porcentagem ficou entre as pessoas na faixa dos 50 anos, representando 30,1% do total. Pessoas na faixa de 30 anos representam o segundo maior índice (28,7).

Quando questionados sobre como superaram seus pensamentos suicidas, 36,7% disseram que tentaram distrair suas mentes com passatempos ou trabalho, enquanto 32,1% disseram que discutiram seus problemas com familiares, amigos ou colegas de trabalho.

Segundo o ministério, um dos pontos mais preocupantes revelados na pesquisa ficou por conta daqueles que disseram desconhecer o serviço telefônico de aconselhamento disponibilizado pelo governo japonês. Apenas 6,9% dos entrevistados disseram conhecer tal serviço de ajuda, cuja finalidade principal é fornecer profissionais da área para aconselhar pessoas com tendências suicidas. Denominado em japonês por “kokoro no Kenkou Soudan Touitsu Dial”, o número do serviço é 0570-064-556 e atende 24 horas por dia, explica o ministério.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, o número de pessoas que se mataram no Japão em 2016 caiu 9,4%, para um total de 21.764, contra 24.025 casos em 2015. Trata-se do sétimo ano consecutivo de queda.

Apesar do gradativo descenso, Japão ainda se destaca como detentor da maior taxa de suicídio entre as sete nações industrializadas que formam o grupo G7. Além disso, um recente relatório denominado O“Banco de Dados de Mortalidade”, da Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta Japão como o único país do G7 em que o índice de suicídio é o maior entre os jovens, de 15 a 39 anos.

Contudo, um estudo mais abrangente sobre o tema foi compilado recentemente pela Nippon Foundation (NF), Embora também aponte que um em cada quatro japoneses já considerou o suicídio, a pesquisa da NF entrevistou 40.000 pessoas nas 47 províncias existentes no Japão.

Além disso, o órgão afirma que “o estudo é mais abrangente por avaliar os efeitos e causas, bem como classificar os índices por idade, sexo e regiões. “É a primeira vez que uma pesquisa aborda o problema em sua totalidade”, explica a NF no texto introdutório da pesquisa que foi divulgada em outubro do ano passado.

*Confira os dados da pesquisa sobre suicídios compilada pela Nippon Foundation.

*Os dados da pesquisa quadrienal feita pelo Ministério da Saúde podem ser conferidos no site de notícias da emissora estatal japonesa NHK: Survey: 1 in 4 Japanese has considered suicide.