Notícias

Atividade fabril do Japão cai ao menor nível desde 2016

Área industrial em Yokohama | Foto: Stockvault

O índice de Gerentes de Compras de Manufatura caiu para 48,5 em outubro, enquanto os pedidos despencaram ao pior nível em quase 7 anos.

A atividade fabril do Japão encolheu para o nível mais baixo em três anos, mostrou uma pesquisa divulgada na quinta-feira (24), aumentando as preocupações a demora na retomada economia global, o que tem afetado o país.

Os dados estão à frente de uma revisão sobre a economia e a inflação que serão concluídas pelo Banco do Japão (BOJ, o banco central japonês) na próxima semana.

O índice de Gerentes de Compras de Manufatura (PMI), divulgado pela companhia Jibun Bank, caiu para 48,5 em outubro, nível mais baixo desde junho de 2016, com novos pedidos despencando no ritmo mais rápido visto em quase sete anos. Números abaixo de 50 indicam contração.

Setor de Serviços

Uma queda acentuada de 50,3 no índice do setor de serviços é outra grande preocupação. O crescimento recente da economia japonesa depende fortemente da resiliência fora dos portões das fábricas do país.

Joe Hayes, economista da IHS Markit, que compila a pesquisa, sinalizou que a passagem do tufão Hagibis no Japão, em meados desse mês de outubro, interrompeu as cadeias de suprimentos, bem como o aumento do imposto sobre vendas no início do mês, pode ter atividade antecipada como fatores temporários que podem estar “exagerando” a fraqueza observada na pesquisa.

“A economia do Japão atingiu um aumento tímido, que era amplamente esperado em outubro, após o aumento dos impostos sobre o consumo, que entrou em vigor durante o mês”, disse Hayes. “Os dados mais recentes sugerem que o setor de serviços terá muita folga para dar conta [tempo para melhorar]”, disse

Da Bloomberg / Tradução e edição do Mundo-Nipo.com (MN).