Notícias

Mesmo com desaceleração global, BC do Japão debate mais flexibilização

Foto: Aflo Images

A ideia de acelerar os estímulos monetários ocorre à medida que aumentam os riscos externos sobre a frágil economia japonesa.

Em meio à desaceleração econômica em praticamente todo o mundo, autoridades do Banco do Japão (BoJ, o banco central japonês) debateram a viabilidade de acelerar os estímulos monetários em sua reunião de política monetária neste mês, à medida que aumentam os riscos externos sobre a frágil economia japonesa, de acordo com um resumo das opiniões da reunião divulgada ontem (27).

Embora muitos no conselho tenham mantido sua visão de que a economia do Japão continuou a se expandir moderadamente, alguns expressaram preocupação com o impacto da desaceleração da demanda global e o possível impacto no consumo de um aumento de imposto sobre vendas programado em outubro.

“Na atual situação em que os riscos de baixo estão se materializando, o Banco do Japão deve estar preparado para dar respostas de política monetária”, disse um dos nove membros do banco central.

“Se houver preocupações de que o ímpeto da inflação será perdido, o Banco do Japão deve afrouxar a política monetária de forma decisiva”, disse o membro.

Outros, no entanto, foram mais cautelosos sobre o reforço de um programa de estímulo já massivo. Alguns disseram que a manutenção da política atual foi a melhor abordagem, dado o aumento do custo de flexibilização prolongada, de acordo com o resumo.

Na reunião de 14 e 15 de março o banco central japonês manteve a política monetária mas piorou sua visão sobre exportações e produção, em um aceno ao impacto da desaceleração do crescimento global.

O Banco do Japão enfrenta um dilema. Anos de impressão de dinheiro secaram a liquidez do mercado e prejudicaram os lucros dos bancos comerciais, destacando os riscos crescentes de uma flexibilização prolongada.

MN – Mundo-Nipo.com
Com informações da Agência Reuters